Opinião Marco Feliciano: Solução para a educação brasileira

É preciso valorizar o aprendizado básico e a figura do professor em sala de aula

Marco Feliciano - 02/03/2018 11h30

Alô, amigos do Pleno.News, hoje quero conversar com vocês sobre a “Escola sem Partido”.

Quando levantamos essa bandeira, as esquerdas – que montaram uma verdadeira base leninista/stalinista no ensino brasileiro – vociferaram tais quais lacaios do Lula/petismo, pois ainda sonhavam em voltar ao poder.

Mas agora, dados recentes trazem o assunto à tona. Um relatório inédito do Banco Mundial (publicado pelo jornal O Estado de S.Paulo) realizado através de estudos científicos na área educacional, estima que o Brasil pode demorar 260 anos para se recuperar e atingir o nível de países desenvolvidos na leitura e, 75 anos na matemática. Por meio desse resultado é possível perceber que tal demora se deve ao passo lento com o qual avança a nossa educação. Esse parecer foi dado baseando-se em cálculos de desempenho dos estudantes brasileiros nas edições do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA). Essa avaliação é aplicada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE).

Assim, pela primeira vez, o World Development Report, relatório anual de desenvolvimento que trata das questões mundiais, é dedicado exclusivamente à educação. Esse relatório constata uma crise mundial na educação. Nos últimos 30 anos houve um grande progresso em colocar crianças nas escolas, na maioria dos países. Mas muitas delas não entendem o que leem nem sabem fazer contas.

A solução imediata, a meu ver, é avançar nos métodos de ensino com valorização do aprendizado básico. Sem avançar na disciplina antes que haja uma assimilação progressiva da matéria pelo aluno. E, que seja valorizada a figura do professor em sala de aula.

Se assim for feito, tenho certeza de que não precisaremos dos 260 anos previsto no relatório do Banco Mundial. Mas devemos dar o primeiro passo, no sentido de promover uma reforma estrutural em nosso currículo escolar adaptando-o aos novos tempos e à tecnologia. Visando, com isso, recuperar o tempo perdido com teorias alheias ao verdadeiro ensino.

Finalizo pedindo a Deus que continue olhando para nossos jovens aprendizes e derrame as mais especiais bênçãos celestiais a todos os estudantes brasileiros.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.