O fim do projeto de venezuelização do Brasil

Levantemos as mãos e aplaudamos o governo de Jair Bolsonaro por, entre tantas medidas, com uma só penada, extinguir mais de 50 conselhos criados pelo PT

Marco Feliciano - 10/05/2019 15h52

Presidente Jair Bolsonaro e deputado Marco Feliciano Foto: Reprodução

Alô, irmãos, alô, amigos que me dão a honra de me acompanharem aqui no Pleno.News!

Levantemos as mãos e aplaudamos o governo de Jair Bolsonaro por, entre tantas medidas saneadoras nessa máquina governamental eivada de órgãos de controle social de cunho esquerdista, com uma só penada, extinguir mais de 50 conselhos criados pelo PT.

O que são estes conselhos? São descendentes diretos dos conselhos de Josef Stálin, dos conselhos da revolução de Fidel Castro e dos aparelhos das organizações terroristas chefiadas por Carlos Marighella e Carlos Lamarca, das quais saíram Dilma Rousseff, José Dirceu, José Genoino, Aloizio Mercadante e tantos outros que hoje se apresentam como baluartes da democracia.

Quando a Folha de São Paulo diz, em seu editorial do dia 9 do mês corrente, que a extinção destes conselhos é bravata do governo, isso me deixa convicto de que tal medida foi acertada. Esses colegiados do qual o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, como era mais conhecido, fazia parte, mediava a interlocução do governo com empresários e sindicatos. Hoje, com a Operação Lava Jato, constatamos quão nefastas foram as promiscuidades entre os corruptos de todas as origens.

A extinção desses colegiados visa economizar recursos e estancar gastos com milhares de conselheiros remunerados com verbas públicas, os quais, para uma reunião com os membros de diversos estados, extrapolavam os gastos públicos com deslocamentos aéreos e diárias em hotéis, quando as discussões deveriam ocorrer por videoconferência.

Desmontar a máquina intencionalmente preparada com a finalidade de erguer um projeto totalitário de poder proletário que nos remeteria a uma venezuelização, é um trabalho árduo. Esse é um desafio de todos nós brasileiros e eu estou pronto para colaborar, através de meu mandato, para que cheguemos a um final feliz nessa história, da qual somos protagonistas, afim de deixar uma sombra para as novas gerações.

Finalizo pedindo a Deus que dê forças ao nosso presidente Jair Bolsonaro para nos levar a um porto seguro, e para que Ele derrame Suas mais escolhidas bênçãos sobre todos.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo