O caos que a perseguição religiosa aos cristãos causou à Turquia

O presidente Donald Trump, em represália à injusta prisão do pastor Brunson, determinou sanções econômicas que estão abalando a Turquia e causando um verdadeiro caos financeiro

Marco Feliciano - 17/08/2018 10h32

Alô, amigos, alô, irmãos que me acompanham no Pleno.News. Aproveito essa oportunidade hoje, para confirmar alguns preceitos bíblicos.

Quero relembrar com vocês uma história que encontramos na Bíblia, no livro de Juízes, capítulo 7, a partir do versículo 7. Ali encontramos o relato de 300 homens, conhecidos também como os valentes de Gideão, que derrotaram o exército midianita que tinha nada menos do que 135 mil homens. Como isso aconteceu? Como um batalhão tão pequeno derrotou um enorme exército? Eu lhe digo: com a mão de Deus sobre as suas cabeças.

Faço esse preâmbulo para chegar ao assunto que quero abordar: a prisão do pastor Andrew Brunson. Esse pastor americano foi julgado na Turquia, em abril deste ano, acusado de terrorismo e de cooperar com o golpe militar, ocorrido em 2016, contra o presidente turco Recep Tayyip Erdogan. Todos esses fatos são uma verdadeira encenação para forçar o governo americano a extraditar o clérigo muçulmano Fethullah Gülen de volta à Turquia. Já que ao governo turco acusa Gülen de ser o líder do golpe.

Donald Trump impôs sanções à Turquia por prisão de pastor protestante Foto: EFE/ Michael Reynolds

O governo do presidente Donald Trump, em represália à injusta prisão do pastor Brunson, determinou sanções econômicas que abalaram a Turquia causando um verdadeiro caos financeiro de repercussão internacional. As medidas tomadas até então acarretaram a queda da moeda, a lira turca; o cancelamento de créditos; e a sobretaxa das importações de aço e alumínio da Turquia.

Tudo isso é um sinal que está sendo dado ao mundo, pois qualquer perseguição religiosa aos cristãos não será tolerada, as consequências serão graves e os prejuízos incomensuráveis.

Finalizo pedindo a Deus que ilumine os líderes políticos anticristãos, para que repensem suas políticas de repressão. E que Ele derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais a todos os povos.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.