Luta pelos ideais cristãos – parte 1

A luta para conter ataques à família e ao cristianismo é árdua

Marco Feliciano - 14/11/2017 13h04

É com muita honra que mais uma vez me dirijo a vocês, amigos, com as notícias que achei mais relevantes à luta democrática pelos ideais cristãos, que são cada vez mais desafiadores. Mas isso é o que esquenta nossa fé a ponto de causar ebulição em nosso coração.

Recentemente, o SESC – Serviço Social do Comércio, entidade mantida com subsídios concedidos pelo Governo Federal através de legislação específica; e que movimenta milhões de reais sem o controle do TCU-Tribunal de Contas da União; promoveu uma palestra em sua unidade Pompeia, São Paulo capital, na qual foi convidada uma feminista criadora da ideologia de gênero, para uma explanação de suas ideias. Esse convite provocou protestos de pessoas que são contrárias a essas malfadadas interferências na atividade natural da humanidade, com teses absurdas de que ninguém nasce homem ou mulher, e sim, escolhe o que se quer ser com o passar do tempo.

Também tivemos varias exposições de cunho sexual e até pornográfico com acesso de crianças e que, após denunciarmos, na Tribuna da Câmara, foram adequados a normas legais de faixa etária.

A luta para conter ataques à família e ao cristianismo é árdua. A Globo – numa repaginação de seu decadente humorístico Zorra – vem de forma sistemática satirizando a Sagrada Figura de Jesus Cristo, num flagrante desrespeito ao culto e à religião. A liberdade de culto e de religião é prevista em Lei, e, certamente, cobrarei providências do Ministério Público.

Previno os irmãos, principalmente os mais jovens, que estamos sendo alvo de uma descristianização em âmbito mundial. Portanto, lutemos em oração e ação contra tudo que venha a atingir nossa fé, venha de onde vier, na escola, dentro da própria Igreja, onde se tenta pregar um cristianismo sem cruz, em que se tolera tudo o que há lá fora, nos nivelando por baixo. O cristianismo é a renúncia ao pecado e as facilidades deste mundo, onde a caridade e a misericórdia ficaram em segundo plano.

São essas atitudes que dão legalidade ao inimigo para que tal qual Jó sejamos cobrados perante Deus. Só não nos esqueçamos que Jó saiu vencedor.

Finalizo pedindo a Deus que derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais aos leitores desta coluna.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.