Deixem suas crianças em paz

O MST promoveu um encontro nacional com as crianças de seus assentamentos. Um horror! Os pais criam seus filhos para serem massa de manobra

Marco Feliciano - 03/08/2018 10h35

Alô, amigos e irmãos que me acompanham no Pleno.News. Sim, eu disse: “Deixem suas crianças em paz!”.

Esse é um apelo que faço ao Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) que promoveu recentemente, em Brasília, um encontro nacional com as crianças de assentamentos e acampamentos do movimento, os chamados Sem Terrinha.

O que chama a atenção é que todo esse deslocamento de 1.200 crianças de 27 Estados e seus acompanhantes foi pago com verbas públicas. E o mais grave foi o cunho político ideológico do encontro, no qual as crianças foram organizadas não como grupos infantis que poderiam se integrar numa confraternização próprias para a idade, com brincadeiras, trocas de experiências, intercâmbio cultural regional, distribuição de brindes, guloseimas, livros e utilidades, por exemplo. Não. Não foi isso que aconteceu. O que se viu foi uma grotesca caricatura de minis Sem Terra imitando os adultos.

Marcha no Encontro Nacional dos Sem Terrinha Foto: Divulgação

As crianças foram colocadas em formação tal qual mini militantes com camisetas e bonés do movimento. Elas entoaram hinos que são verdadeiros mantras, truncando assim a inocência própria da idade. As letras das canções são de combate e reclamam do transporte escolar, das distâncias das escolas rurais. Resultado: estão criando factoides na cabecinha de pequeninos despreparados para entenderem a magnitude dos problemas. É claro que ônibus em estradas vicinais sempre serão empoeirados, e que escolas rurais sempre serão distantes umas das outras…

Por isso, peço a esses pais: Deixem seus filhos crescerem em paz, num ambiente sem contendas. Por favor, ensinem a seus filhos o crescimento meritório, assim como acontece na área urbana industrial, porque fazê-los cantar hinos ideológicos citando a Palestina, algo totalmente fora do contexto infanto-juvenil em que vivem, é uma verdadeira afronta aos educadores formais de nosso país que seguem uma grade de ensino aprovada pelo MEC amparada na lei de diretrizes e bases.

Crianças robotizados dos Sem Terrinhas serão no futuro sem cerebrozinhos servindo à causa comunista ateísta, com seu lugarzinho garantido como eternos acampados nos Sem Terra. Liderados pelos milionários “Stédile” e “Rainha” que levam a vida em suas confortáveis Datchas (mansões de Stálin).

Finalizo pedindo a Deus que oriente esses pais a não usarem seus filhos como experimento em massas de manobra, tal qual os meninos de Mao, na China, e de Stálin, na União Soviética. Peço que Ele derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais a todos os sem terrinha de Jesus.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.