Coluna Marco Feliciano: Muito trabalho para este ano

Este ano de 2018 se apresenta como um ano de muitas lutas; como cidadãos de bem precisamos estar prontos para o bom combate

Marco Feliciano - 15/01/2018 08h00

Queridos leitores do Pleno.News, é com grande alegria que, em mais um ano, estamos juntos nesse movimento que visa conservar valores familiares e cristãos.

Em ano de eleições devemos estar atentos aos evangélicos bissextos que aparecem, de quatro em quatro anos nas igrejas, com planos mirabolantes e panaceias para todos os males. E, depois do pleito, somem deixando apenas as promessas.

Este ano de 2018 se apresenta como um ano de muitas lutas:

Notícias vindas da vizinha Bolívia indicam ferrenha perseguição religiosa, com mudanças na legislação penal tornando crime a evangelização fora dos templos.

Queridos, essa é uma das metas do comunismo. Primeiro, eles ganham as eleições democráticas vestidos em peles de cordeiros; depois ganham tempo mudando as regras da sucessão até o limite de suas maquinações. Quando esse movimento começa a se tornar difícil, eles calam as vozes discordantes. Geralmente, acontece uma perseguição a Igreja, pois ela nunca aceita abrir mão de seus princípios em defesa da vida, contra o aborto e, muito menos apostatar da fé em nome de um Estado acima do ser humano e de seus princípios cristãos.

Outro problema em nossas fronteiras é a Venezuela que se tornou uma ditadura assassina, com milícias armadas pelo governo, atacando o povo que exerce seu direito de manifestação.

Creia, estes são regimes apoiados pelo Partido dos Trabalhadores com financiamentos de bancos estatais brasileiros.

Como cidadãos de bem devemos pressionar as autoridades brasileiras para que sejam enérgicas com esses rompimentos institucionais, em nossas fronteiras. Precisamos evitar levas de fugitivos, como já acontece em São Paulo que hoje conta com uma população de aproximadamente duzentos mil bolivianos; e, a cada dia chegam mais. Também Roraima conta com uma incontável leva de refugiados venezuelanos.

Finalizo pedindo a Deus que ilumine o coração de nossas autoridades para que usem a influência da importância que temos no cenário internacional para que cessem todas perseguições religiosas; e rogo a Deus também que derrame bênçãos escolhidas a todos.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.