Leia também:
X Geladeira: Nosso “armário” refrigerado!

Boulos, o forte candidato ao Nobel de Economia

A absurda ideia do filho da classe média alta que se mudou para a periferia

Marco Feliciano - 22/11/2020 09h55

Guilherme Boulos e Bruno Covas conversam durante passagem pela CNN Brasil
Guilherme Boulos e Bruno Covas disputam a Prefeitura de São Paulo Foto: CNN Brasil/Kelly Queiroz

Guilherme Boulos é forte candidato ao Nobel de Economia. O candidato do PSOL apresentou um projeto para, se eleito, promover concurso público para a Prefeitura de São Paulo.

De acordo com sua tese, se a Prefeitura admitir milhares de funcionários públicos contribuindo com a previdência municipal (eureka!), todos os problemas estarão solucionados. Ele só omite de onde sairá o salário desses admitidos…

A pessoa precisa ser totalmente sem escrúpulos para mentir descaradamente para ganhar a eleição. Esse Pierrot pré- fabricado, filho de médicos de classe média alta e formado em Filosofia pela USP, se mudou para a periferia e vestiu a máscara que usa até hoje.

ENRIQUECIMENTO
Faz parte do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), mas ao invés de trilhar caminhos honestos de cooperativas populares para adquirirem moradias, seguiu para a criminosa invasão de bens particulares. E mais, ainda é acusado de se locupletar de mensalidades cobradas de pessoa humildes, feitas de massa de manobra com a finalidade de tomar o poder político.

Alerto aos irmãos cristãos, não votemos em comunistas eles visam apenas fortalecer o “deus Estado”, após eleitos perseguem sem trégua nós cristãos.

Finalizo pedindo a Deus que nos ilumine na hora do voto. O segundo turno é outra eleição. Que o Senhor derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais a todos nós.

Marco Feliciano é pastor, deputado federal por São Paulo e presidente da Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.