Leia também:
X Israel, único mediador entre Rússia e Ucrânia

Armado, povo ucraniano luta bravamente contra uma vitória fácil da Rússia

A população russa tem organizado enormes manifestações contra a guerra

Marco Feliciano - 07/03/2022 17h38

Moradores atravessam a ponte destruída enquanto fogem da região de Kiev Foto: EFE/EPA/ROMAN PILIPEY

“Quanto mais se vive, mais se aprende”; diz o brocardo popular. Digo isso porque, é realmente triste acompanhar esta guerra fratricida, nestes dias.

Sim; o que vemos são irmãos eliminando irmãos. A Ucrânia invadida, sem motivos relevantes, por sua irmã Rússia, que é poderosa. E que também conta com um dos mais bem equipados exércitos do mundo.

No entanto, embora aparentemente mais fraca, a resistência ucraniana é heroica. Muitas pessoas comuns do povo foram armadas pelo governo e lutam bravamente. Elas têm um só objetivo: evitar o que previa o Exército russo como sendo um passeio com vitória fácil.

Agora, interessante é notar um fator determinante em desfavor dos invasores: a falta de apoio de seu próprio povo. Sim, os russos têm organizado enormes manifestações contra a guerra. Dessa maneira, forçam o ditador Putin a prender milhares de cidadãos manifestantes. O que acaba por acarretar o desabastecimento de gêneros de primeira necessidade no país.

Mas o que me preocupa, e dói, é quando vejo pessoas cristãs, que vivem aqui no Brasil, país que nunca viu uma guerra em nosso solo, comentarem que não suportam mais as notícias da sangrenta guerra na Ucrânia. Isso demonstra uma tremenda insensibilidade ao sofrimento de civis inocentes que são obrigados a deixar suas casas apenas com a roupa do corpo e pouca bagagem, para andar centenas de quilômetros até a fronteira com países vizinhos hospitaleiros para buscar refúgio. Como também o número grande de homens e mulheres que deixam para trás, pais, irmãos, conjugues e amigos; tudo devido à convocação para a defesa da pátria.

Mais uma vez, conclamo os irmãos que continuemos em vigília de oração pelo povo que está sofrendo. E peço que Deus nunca nos deixe ficar insensíveis ao sofrimento de nossos irmãos do Leste Europeu e também de outros países que se encontram em conflito.

Finalizo pedindo a Deus que derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais a todo povo ucraniano.

Marco Feliciano é pastor e está em seu terceiro mandato consecutivo como deputado federal pelo Estado de São Paulo. Ele também é escritor, cantor e presidente da Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

Leia também1 Ucrânia e Rússia encerram a 3ª rodada de negociações
2 Sérgio Mallandro viraliza com enquete de eleição presidencial
3 Negociador ucraniano é morto; suspeitas apontam para traição
4 Brasil fica fora da lista de países considerados inimigos da Rússia
5 Arthur do Val: Falas repercutem na imprensa internacional

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.