Leia também:
X A relação do esquerdismo com os pastores de Teologia Liberal

A importância deste pleito para o futuro da Nação

Precisamos conscientizar nossos amigos e familiares

Marco Feliciano - 27/10/2022 12h49

Bandeira do Brasil Foto: Reprodução

Estamos a três dias do segundo turno das eleições; por isso, temos de reiterar à exaustão a importância deste pleito para o futuro da nossa Nação, que pode continuar sob uma democracia liberal, ampla liberdade de expressão, manutenção de nossas caras tradições judaico-cristãs, respeito à família tradicional. E seguir contra o aborto, contra a liberação das drogas, contra a ideologia de gênero. Ou, como segunda opção podemos ter a volta das trevas, da corrupção desenfreada, o já prometido controle das mídias sociais, como uma também já proclamada tomada de poder.

O fato é que o perigo está batendo à porta e está em nossas mãos resistir, aproveitando este final de campanha do presidente Bolsonaro para conscientizar nossos amigos e familiares a formarmos uma corrente da vitória neste domingo dia 30 de outubro.

Sim, não podemos dar chances a falsas pesquisas que já demonstraram estar a serviço remunerado de grandes conglomerados interessados em voltar a se mancomunarem com os assaltos aos cofres públicos; daqueles que estão em abstinência dos recursos do tesouro.

Finalizo agradecendo a Deus por nos proporcionar tirar as traves dos olhos dos desavisados, para que no próximo domingo sacramentem com firmeza o 22 e confirmem Bolsonaro presidente! E peço que Ele derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais a todo o povo brasileiro.

Marco Feliciano é pastor e está em seu terceiro mandato consecutivo como deputado federal pelo Estado de São Paulo. Ele também é escritor, cantor e presidente da Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.