Leia também:
X Liberdade de expressão: É para defendê-la que vou às ruas

A guerra a pastores e padres que ousarem denunciar a perseguição à Igreja

Num desespero pela falta de perspectivas, nomearam como inimigos os cristãos

Marco Feliciano - 03/09/2021 13h02

Encontro do Foro de São Paulo Foto: Foro de São Paulo

A Bíblia fala, em 2 Coríntios 11:14 (NAA): “E não é de admirar, porque o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz”. O texto bíblico é sempre verdadeiro e atual. Assim, as máscaras sempre caem e são descobertas as carrancas do mal.

Infelizmente, alguns que tiveram um grande destaque na política em nosso país enganaram milhões de pessoas – a maioria delas cristãs que acreditaram no canto da sereia de que seria possível distribuir riquezas para todos, sem a contrapartida na produção de bens.

Esses destacados líderes promoveram um assalto aos cofres públicos, como nunca foi visto no mundo. E, ao serem desmascarados, perderam o poder e também as eleições, passando para um insignificante lugar na política atual. Então, num desespero pela falta de perspectivas quanto ao futuro, eles nomearam como inimigos de estimação do momento nós, cristãos.

Sem o mínimo escrúpulo, eles colocaram para fora o demônio contido e estão declarando guerra a pastores e padres que ousarem denunciar as nefastas intenções deles de perseguir a Igreja – como fazem seus parceiros em Cuba, na Venezuela, na Nicarágua, na China e na Coreia do Norte. Mas nós, legisladores cristãos, não deixaremos passar nenhuma proposta de tolher a liberdade de pregar o evangelho de Jesus Cristo em toda a sua plenitude, mesmo que com o risco da nossa própria vida.

Alguns irmãos, por um fatalismo tolo, acham que devemos abster-nos disso. Contudo, foi assim que as esquerdas ficaram tantos anos roubando a nação e que, por pouco, não caímos num socialismo ateísta, com o fuzilamento sumário de pastores e padres. Sendo assim, agora, junto aos fiéis à Palavra, vamos cerrar fileiras pelo ideal cristão de dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus, o louvor e a adoração!

 

Marco Feliciano é pastor e está em seu terceiro mandato consecutivo como deputado federal pelo Estado de São Paulo. Ele também é escritor, cantor e presidente da Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.