Fé e Copa do Mundo: Nunca entre de salto alto

Diversas seleções favoritas foram humilhadas pelo orgulho e por terem menosprezado um adversário mais fraco

Luiz Sayão - 03/07/2018 10h26

Parte da fascinação da história das copas está nas suas surpresas. Todos sabem das grandes “zebras” da história! Muitas delas provocadas pelo famoso “salto alto”. Diversas seleções favoritas foram humilhadas pelo orgulho e por terem menosprezado um adversário mais fraco. Nunca se pode gritar “já ganhou” antes da hora! A humilhação depois é insuportável.

Talvez o mais conhecido exemplo de “salto alto” foi o da copa de 50. A Seleção Brasileira achava-se invencível: tinha feito 21 gols em 5 jogos. No quadrangular final, o Brasil fez 7 a 1 na Suécia e 6 a 1 na Espanha. Já o Uruguai vencera com dificuldade a Suécia (3 a 2) e havia empatado com a Espanha (2 a 2). O Brasil sabia que seria campeão! Jogando no Maracanã lotado, a Seleção tinha certeza da vitória! Um simples empate já daria o título ao Brasil.

A triste história, bem conhecida, foi que o carrasco Giggia calou a torcida canarinho com o gol da vitória uruguaia por 2 a 1. Outras seleções “de salto alto” também sofreram muitas humilhações.

Em 1950 a Inglaterra foi derrotada pelos EUA (1 a 0); na Copa de 66 a Coreia do Norte derrotou a temida Itália (1 a 0); em 78 a forte Alemanha voltou para casa mais cedo ao ser vencida pela modesta Áustria (3 a 2); os argentinos, campeões em 78, foram surpreendidos pela Bélgica na Espanha (1 a 0), em 82, e a tradicional equipe celeste uruguaia foi esmagada pela Dinamarca por 6 a 1 na copa de 86. Todos os derrotados tinham algo em comum: “Entraram de salto alto”.

Na vida espiritual as coisas são muito parecidas. O homem é orgulhoso e não admite seus erros e seus pontos fracos. Nega seus pecados e suas necessidades. Acha que pode “vencer” sozinho. Deus afirma que precisamos de sua ajuda. Não tem essa de “já ganhou”. Sabemos que somos pecadores, e precisamos admitir isso e pedir o auxílio de Deus para a nossa caminhada.

Muita gente, porém, entra de “salto alto” na vida espiritual e sofre derrotas humilhantes em sua vida pessoal. Jesus afirmou que quem se exalta será humilhado, mas quem se humilha será exaltado. Você só pode ser vencedor na vida se aceitar que é pecador e buscar reconciliação com Deus e o perdão de Cristo. Volte-se agora para Deus e desista do desse seu “salto alto”.

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça”. (1 João 1:9).

Luiz Sayão é professor em seminários no Brasil e nos Estados Unidos, escritor, linguista e mestre em Língua Hebraica, Literatura e Cultura Judaica pela Universidade de São Paulo (USP).

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo