Fé e Copa do Mundo: Aguenta coração

E se formos pegos de surpresa pela “zebra” da doença? Da dificuldade financeira?

Luiz Sayão - 19/06/2018 10h14

Cuidado! Futebol é perigoso! Os cardíacos que tomem cuidado, pois só no futebol temos surpresas inesperadas e verdadeiras “zebras” . Raramente um time fraco de qualquer outro esporte consegue ser campeão. O futebol cativa por ser imprevisível!

Todo jogo mexe com os nervos. Por isso: Aguenta, coração! A história das copas está repleta de jogos e decisões que quase acabaram com o coração da torcida. Na badalada copa de 86 a final entre Alemanha e Argentina foi eletrizante. Foi demais! O jogo terminou 3 a 2. Os gols foram saindo, um atrás do outro. A Argentina dominava o placar, a Alemanha empatava, até que Maradona deu a vitória aos argentinos. Quanta emoção! Que adrenalina! Aguenta, coração!

Que dizer de Brasil e Itália na final de 1994, nos EUA. Que emocionante! Milhões de torcedores seguravam o grito de gol, que não saiu. As duas seleções de tradição, com 6 títulos mundiais em campo na época, tentaram e tentaram, mas ficaram no 0 a 0. Pela primeira vez, uma final seria disputada nos pênaltis! Que loucura! A torcida quase morre do coração na grande vitória do Brasil.

Em 2002, numa partida disputadíssima, a Alemanha enfrentou o Brasil na final, com o melhor goleiro do mundo, Oliver Kahn. Nervosismo total! Só no segundo tempo, o Brasil pode comemorar, graças ao incrível Ronaldo.

Assim é a vida. Tão fascinante e imprevisível como o futebol. Na vida espiritual não é diferente. Por isso, aguenta, coração! É cada surpresa! Na Bíblia, Tiago confirma essa verdade: “Ouçam agora, vocês que dizem: ‘Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro’. Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa” (Tiago 4:13-15).

Diante da vida imprevisível, precisamos tomar cuidado com o coração. É como estar no estádio! E se formos pegos de surpresa pela “zebra” da doença? Da dificuldade financeira? Dos problemas de família? E da morte? Nosso coração aguenta? Você está preparado para jogar o jogo da vida e para enfrentar as “prorrogações” e os “pênaltis” imprevistos? Seu coração pode aguentar o jogo da vida? A verdade é que sem Deus não dá nem para entrar em campo! Está na hora de abrir o coração para o Criador!

Luiz Sayão é professor em seminários no Brasil e nos Estados Unidos, escritor, linguista e mestre em Língua Hebraica, Literatura e Cultura Judaica pela Universidade de São Paulo (USP).

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo