A febre dos carros antigos finalmente chegou para ficar

Os encontros de clubes de carros antigos ou personalizados ocorrem por todo o país

Leandro Sauerbronn - 06/09/2017 12h45

Amigos entusiastas, colecionadores, curiosos, especialistas, mecânicos, fãs e qualquer um que sempre admira o carro antigo…

Quantas vezes nos pegamos entortando o pescoço quando passa um carro antigo, principalmente quando se tem uma conexão história com ele! Como aquele Opalão que era do seu avô, o Fusca do seu pai que ia lotado para a Região dos Lagos nos feriados prolongados, a Kombi na qual você rodou o país ou mesmo a Fiat 147 do seu vizinho que lhe dava carona para a escola.

A febre dos carros antigos finalmente chegou para ficar / Foto: Leandro Sauerbronn

Essa conexão, muitas vezes, vira paixão, e paixões nos fazem cometer loucuras, como estourar o limite do cartão de crédito, ficar ligado em sites de compras atrás de peças de reposição, comprar 2, 3, 4 carros sem terminar a restauração do primeiro. Além de ter que pagar várias vagas de garagem por não ter onde guardar as suas preciosidades.

Nos anos 2000, com uma ajudinha do cinema, alguns jovens voltaram seus olhares para os antigos, e o negócio começou a ficar mais sério. A demanda de profissionais qualificados aumentou de forma exponencial. Hoje, alguns profissionais trabalham com agenda lotada o ano inteiro, mesmo com crise. O mercado dos antigos tem resistido bravamente e cresce a cada dia, está muito aquecido. Carros que na década de 90 eram vendidos por menos de R$ 5 mil hoje chegam a valer mais de R$ 100 mil facilmente.

Chegou ao ponto que fabricantes têm voltado produções antigas para carros antigos, como recentemente a fabricante DANA, que voltou a fabricar um lendário diferencial que, usado, chegou a custar R$ 4500 pela escassez.

Os encontros de clubes de carros antigos ou personalizados ocorrem por todo o país. Aqui cobriremos alguns eventos como o que acontecerá em São Gonçalo/RJ, no dia 1º de Outubro. Daremos dicas de mecânica e de cursos; tudo isso para você cuidar bem do seu antigo, ou se ainda não tem, saber como começar esse novo hobby. Os encontros são bem democráticos, várias marcas e modelos sempre aparecem alinhados um do lado do outro.

A febre dos carros antigos finalmente chegou para ficar / Foto: Leandro Sauerbronn

Um abraço e pé no porão!


Leandro Sauerbronn é aficionado por carros e motores; possui ferrugem e gasolina nas veias desde de nascença; começou a estudar o automóvel muito cedo, ainda criança. Hoje se tornou restaurador, customizador e educador; ensina a nobre arte da mecânica em seu curso.