Leia também:
X Sempre tenta surgir uma nova cabeça no monstro

Sobrevivente do Holocausto de 96 anos morre após ataque russo

Borys Romanchenko sobreviveu a Hitler e foi assassinado por Putin

Lawrence Maximo - 21/03/2022 18h47

Consequências de um dos bombardeios russos em Kharkiv Foto: EFE/EPA/SERGEY KOZLOV

Sabemos que muitas são as facetas e as semelhanças entre as atrocidades de Hitler e Putin. O ditador russo continua chocando o mundo com seu plano maligno e atroz na Ucrânia. No entanto, uma morte no meio de tudo isso nos abala terrivelmente. O sobrevivente do Holocausto judaico-ucraniano Borys Romanchenko, de 96 anos, morreu devido a ataques aéreos russos enquanto estava em seu apartamento em Kharkiv, confirmou o ministro das Relações Exteriores ucraniano, Dmytro Kuleba, nesta segunda-feira (21).

– Borys Romanchenko, 96 anos, sobreviveu a quatro campos de concentração nazistas: Buchenwald, Peenemünde, Mittelbau-Dora, Bergen-Belsen. Ele viveu uma vida tranquila em Kharkiv até recentemente. Na sexta-feira passada, uma bomba russa atingiu sua casa e o matou. Um crime indescritível. Sobreviveu a [Adolf] Hitler, assassinado por [Vladimir] Putin – escreveu o ministro Kuleba, no Twitter, em uma homenagem a Romanchenko.

Postagem do ministro ucraniano. A comunidade judaica em Kharkiv, nordeste da Ucrânia, sofreu vários ataques durante a invasão da Ucrânia pela Rússia, que começou em 24 de fevereiro

O edifício Yeshiva, da comunidade judaica de Kharkiv, foi diretamente atingido por um ataque russo, relatou uma comunidade local de Chabad, no Facebook na semana passada. No início de março, as janelas da antiga Grande Sinagoga de Kharkiv foram quebradas pelo impacto de um ataque aéreo russo que atingiu um centro comercial próximo. Mais de 100 refugiados judeus-ucranianos estavam no porão da sinagoga no momento do incidente.

A morte de Romanchenko por ataques russos acontece um dia após o discurso transmitido ao vivo pelo presidente ucraniano Volodymyr Zelensky ao Knesset, onde Zelensky comparou a agressão russa ao Holocausto.

Zelensky relatou ainda que os russos estavam usando termos como “a solução final” contra o povo ucraniano.

Lawrence Maximo é analista político, professor universitário e escritor. Mestrando em Ciências Políticas Internacionais: Cooperação Internacional, Mestre em Missiologia, Pós-graduado em Ciência Política: Cidadania e Governação e Pós-graduado em Antropologia da Religião. Historiador e Teólogo. Escreve artigos para o jornal Gazeta do Povo e Revista Esmeril.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.