Leia também:
X Daniel Silveira está sendo vítima de um lamentável erro jurídico

Israel realiza a Operação Quebra Ondas

Onze pessoas foram mortas em Israel, em três ataques terroristas separados na última semana, o maior número semanal desde 2006

Lawrence Maximo - 31/03/2022 17h07

Judeus choram ao redor do corpo de Yaakov Israel Shalom, uma das vítimas de um ataque a tiros Foto: EFE/EPA/ABIR SULTAN

A operação conjunta das forças de segurança israelenses para conter a maré crescente de ataques terroristas foi apelidada de Wave Breaker – em português, quebra ondas. Isso, horas depois que tropas das Forças de Defesa de Israel (IDF) trocaram tiros com terroristas em Jenin e um ataque a facadas ocorreu em um ônibus em Gush Etzion, nesta quinta-feira (31).

CONFRONTOS EM JENIN
O IDF e a Polícia de Fronteira entraram na cidade para prender suspeitos ligados ao ataque terrorista de Bnei Brak e três palestinos foram mortos, informou a mídia israelense. Ao mesmo tempo, soldados do IDF prenderam três pessoas em Yabed por suspeita de envolvimento no ataque. Também apreenderam várias armas.

ATAQUE TERRORISTA DE GUSH ETZION
Logo após o incidente em Jenin, um civil sofreu ferimentos graves quando esfaqueado por um terrorista, em um ônibus, perto da cidade de Elazar em Gush Etzion. Um civil no ônibus disparou e matou o terrorista.

– O terrorista usou uma chave de fenda para executar o esfaqueamento – informou um porta-voz da polícia.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro Naftali Bennett convocou aqueles com licenças de armas para começar a portar sua arma de fogo. Ele também avisou que Israel estava entrando em um período de crescente atividade terrorista.

– Cidadãos de Israel, estamos atualmente experimentando uma onda de terrorismo assassino e, assim como em todas as ondas anteriores, prevaleceremos juntos.

Várias horas após o ataque a facadas em Gush Etzion, o IDF entrou em Tarkumiya perto de Hebron, a cidade onde a família do terrorista vive para interrogar e avisar as partes relevantes. Enquanto estavam lá, cerca de 50 moradores atiraram pedras contra os soldados, que responderam com métodos de dispersão de multidões.

Onze pessoas foram mortas em Israel, em três ataques terroristas separados na última semana, o maior número semanal desde 2006, no final da Segunda Intifada. Nas últimas 24 horas, o estabelecimento de segurança tem agido com força total para restaurar a segurança nas cidades de Israel.

Lawrence Maximo é analista político, professor universitário e escritor. Mestrando em Ciências Políticas Internacionais: Cooperação Internacional, Mestre em Missiologia, Pós-graduado em Ciência Política: Cidadania e Governação e Pós-graduado em Antropologia da Religião. Historiador e Teólogo. Escreve artigos para o jornal Gazeta do Povo e Revista Esmeril.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

Leia também1 Israel reforça segurança devido a onda de ataques terroristas
2 Ataque terrorista em Israel deixa cinco mortos em Bnei Brak
3 O ISIS e os ataques terroristas em Israel

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.