A cozinha é um livro vivo

Pense: Há muitas histórias para contar e relembrar quando tem panela no fogão, não é mesmo?

Juliana Dias - 19/10/2018 09h48

A comida alimenta as memórias da infância. O paladar e o olfato são sentidos exclusivamente sentimentais, que se ligam diretamente ao centro da memória de longo prazo, conhecido como hipocampo. A cozinha é um livro vivo. Há muitas histórias para contar e relembrar quando tem panela no fogão. Em homenagem ao Mês das Crianças, compartilho uma receita de biscoito amanteigado de polvilho, que faz sucesso com a criançada.

O antropólogo norte-americano Sidney Mintz explica que o comer está centro do aprendizado social. Desde cedo, constroem-se os laços culturais, sociais e psicológicos entre o indivíduo e o grupo ao qual pertence. O comportamento alimentar é nutrido por adultos afetivamente “poderosos”, que conferem um poder sentimental duradouro. O lugar onde crescemos e as pessoas com quem convivemos vão aos poucos construindo um material cultural. E esse material dá forma ao nosso comportamento alimentar que se liga diretamente ao sentido de nós mesmos e à nossa identidade social.

Ao longo da vida nossas práticas alimentares podem mudar completamente. Mas o peso do primeiro aprendizado permanece na lembrança. Basta sentir um cheiro ou um gosto que remeta à infância. Por isso, é importante alimentar a memória afetiva dos pequenos. Você pode ser esse adulto “afetivamente poderoso” para uma criança.

A receita do biscoito faz parte da minha infância. Minha mãe me ensinou a fazer e preparávamos juntas. Lembro bem do garfo achatando cada bolinha e da alegria de sentir o biscoito derretendo na boca. Vamos alimentar a memória afetiva? Tire um tempo para cultivar afetos.

Biscoitos amanteigados de polvilho
Rendimento: 80 porções

Ingredientes:
200g de polvilho azedo
200g de farinha de trigo (pode misturar 50g de farinha de trigo integral)
100g de açúcar (pode ser o demerara)
200g de manteiga gelada (pode colocar no congelador e depois cortar. É a manteiga que garante a crocância)

Modo de preparo:
Aquecer o forno a 180ºC; muma vasilha, misturar bem o polvilho, a farinha e o açúcar; juntar a manteiga cortada em pedacinhos e amassar tudo muito bem. Forrar um tabuleiro com papel manteiga (ou untar com manteiga e farinha de trigo); fazer bolinhas do mesmo tamanho e amassar levemente cada bolinha com um garfo; assar os biscoitos até que fiquem com o fundo dourado, aproximadamente 20 minutos.

Para conferir, utilize um garfo para virar um dos biscoitos; retirar do forno e deixar esfriar completamente (eles endurecem completamente depois que saem do forno). Guardar em recipiente muito bem fechado para manter a crocância.

Dica: Se quiser incrementar a receita, coloque raspas de limão, laranja ou tangerina na massa. A criança pode ajudar a medir os ingredientes, misturar a massa, fazer as bolinhas e amassar com o garfo. Ou seja, pode participar de quase todo o processo (menos o forno) e experimentar o prazer de preparar algo gostoso e saudável para comer. É uma forma de ensinar autonomia e o cuidado de si e dos outros.

Saboreie e divirtam-se!

Juliana Dias é jornalista e pesquisadora na área de alimentação, comunicação e cultura. Possui doutorado em História das Ciências, das Técnicas e Epistemologia (HCTE/UFRJ) e mestrado em Educação em Ciências e Saúde (Nutes/UFRJ). Coordena os cursos de pós-graduação e extensão em Jornalismo Gastronômico na Facha, integra a Comissão de Gastronomia do Estado do Rio de Janeiro .

Clique para receber notícias
WhatsApp
Envie sugestões por WhatsApp
+55 (21) 97150-9158