Opinião Josué Gonçalves: Pare de cometer os mesmos erros

Ao final de cada dia, faça uma autoavaliação dos seus erros e acertos, para que, no dia seguinte, você erre menos

Josué Gonçalves - 31/03/2018 08h00

Querido leitor do Pleno.News, quero retomar o tema começado nas semana anteriores: Inteligência Emocional no Casamento. Pois a inteligência emocional ajuda a alcançarmos a plenitude no relacionamento a dois.

Vamos começar nossa conversa hoje, refletindo em alguns pensamentos:

O caminho daqueles que buscam a excelência “… é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais, até ser dia perfeito” (Provérbios 4:18).

“Os erros devem nos ensinar em que ponto devemos melhorar”. (Francis Bacon)

“Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância”. (Sócrates)

“Obrigado amigo, pelos erros que me emprestastes, pois com eles pude corrigir os meus”. (Silvestre C. Cabral)

“Reconhecer os erros e buscar o caminho da significância é atitude dos grandes”.

Sabemos que errar é humano, mas permanecer no erro é fazer papel de tolo. No final de cada dia, faça uma autoavaliação dos seus erros e acertos, para que, no dia seguinte, você erre menos. Peça para o seu cônjuge e filhos lhe ajudarem nas áreas que você é mais vulnerável. Quem aprende com os seus erros é inteligente, mas, quem aprende com os erros dos outros é sábio. Ninguém melhor do que o cônjuge para auxiliá-lo no desenvolvimento da sua maturidade. Seja humilde para aceitar ajuda, correção e disciplina, pois só assim é que nós crescemos. A criança, para aprender a andar, cai muitas vezes, porém, chega um momento em que ela para de cair e caminha com segurança e firmeza. Tudo tem um tempo e um limite. É necessário que aprendamos a andar com firmeza e segurança, deixando as quedas do tempo de criança.

O compositor e cantor Gonzaguinha, na letra de uma de suas músicas, Grito de Alerta, descreve bem o que acontece em um casamento quando o cônjuge insiste nos erros, não querendo abraçar a maturidade.

Um trecho de Grito de Alerta diz o seguinte:

“…E assim nossa vida é um rio secando, as pedras cortando e eu vou perguntando, até quando?

São tantas coisinhas miúdas, roendo, comendo,
arrasando aos poucos o nosso ideal.
São frases perdidas, num mundo de gritos e gestos,
num jogo de culpas que faz tanto mal.

Não quero a razão, pois eu sei o quanto estou errado,
o quanto já fiz destruir.
Só sinto no ar o momento em que o copo está cheio
e já não dá mais pra engolir”.

A verdade é que quando uma pessoa não consegue parar de cometer os mesmos erros pode ser evidência de falhas no caráter. Nesse caso, é preciso um tratamento sério de Deus, através da sua Palavra. Pois, não basta precisar, você tem que querer…

A caixinha surpresa e o marido curioso…

Certa esposa tinha uma caixa de surpresa. Depois de cinco anos de casada, ela mostrou-a ao marido e disse que gostaria que ele nunca abrisse aquela caixa. Um dia, quando ela saiu para ir à igreja, ele, não resistindo à curiosidade, pegou a caixa e abriu-a. Qual não foi a sua surpresa! Dentro da caixa havia três ovos e mil dólares. Ele não entendeu, mas fechou a caixa e deixou como estava. Quando a esposa voltou da igreja, ele não se conteve e contou o que tinha feito. Curioso, perguntou a ela:
– Querida, o que significam os três ovos e os mil dólares?

Ela disse:
– Toda vez que você comete um erro eu coloco dentro da caixa um ovo.

Ele, muito feliz, exclamou:
– Que bom, durante quatro anos de casado, só três erros. E os mil dólares?

Ela respondeu:
– É que sempre que completa uma dúzia eu vendo os ovos…

Valorize as pequenas mudanças

“O importante é isto: estar pronto para, a qualquer momento, sacrificar o que somos pelo que podemos vir a ser”. (Charles Du Bois)

“É sábio olhar para trás, pois é avaliando a tortuosidade de nossas pegadas que poderemos garantir um caminho reto para o futuro. Ninguém pode ser escravo de sua identidade; quando surge uma possibilidade de mudança é preciso mudar”. (Elliot Gould)

“Grandes transformações são a somatória de pequenas mudanças”.

É de pequenas mudanças que se constrói um grande projeto de vida. Seja exigente com você mesmo e paciente com os outros. Todo mundo merece uma segunda oportunidade, até você.

Justin Herald, autor do livro Atitude, diz algo fantástico em sua obra:

“Não tenha medo de mudanças,
pois na maioria das vezes elas
representam libertação”.

Lembre-se: os detalhes podem ser a causa das nossas vitórias ou derrotas. Leve-os a sério. Esteja sempre aberto às mudanças que forem necessárias. Quem não tem humildade para reconhecer que precisa mudar constrói sua casa sobre a areia. Quando chegar o tempo das fortes chuvas, terá muitos problemas. Feliz é o casal que dá valor às pequenas mudanças, são estes que constroem sobre a rocha.

Você já percebeu que todos os pontos que eu estou tratando nesta série de artigos dependem de humildade para colocá-los em prática? Sem humildade é impossível estar aberto e desarmado para aquilo que Deus quer fazer em nós. Quando uma pessoa é dominada pelo orgulho, o resultado final é tornar-se parecida com o maior inimigo de Deus e do homem – o diabo.

“A soberba é uma das armas mais usadas pelo diabo para impedir o fluxo da graça numa relação matrimonial; a soberba é como a fumaça… impede a visão”.

Você sabia que antes de resistir ao diabo, Deus resiste ao soberbo? Veja o que Tiago escreveu em sua carta: “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”. Depois, é que o autor diz: “Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” (Tiago 4:6,7).

Que o seu coração seja humilde o suficiente para que a sua vida seja a cada dia transformada pelo Senhor. Sendo assim, o seu casamento experimentará, a cada dia, um crescimento em termos de qualidade.

O perigo de não estar sempre aberto(a) para as mudanças necessárias. Quando não há mudanças positivas, o casamento sofre um desgaste, e o que antes, aos olhos do cônjuge, era considerado atraente, agora é motivo de irritação. Veja como os dois eram, e como podem estar sendo hoje, por não aceitarem pequenas mudanças.

Antes e depois do casamento

Antes: Você me deixa sem fôlego.
Depois: Você está me sufocando!!!

Antes: Quero estar ao seu lado…
Depois: Vire para o seu lado.

Antes: Me pergunto que faria sem ela(ele).
Depois: Me pergunto o que faço com ela(ele) .

Antes: Erótica(o).
Depois: Neurótica(o).

Antes: Ela(e) adora como controlo a situação.
Depois: Ela(e) diz que sou um manipulador(a) e egoísta.

Antes: É como se eu estivesse sonhando…
Depois: Estou tendo um pesadelo…

Antes: Adoro suas curvas.
Depois: Nossa, como você está gorda(o)!

Antes: Ele(a) está completamente perdido(a) por mim…
Depois: Por que ele(ela) não pede informações?

Antes: Camisa dentro da calça…
Depois: Barriga fora da calça…

Antes: Não acredito que tenhamos nos encontrado…
Depois: Não acredito que acabei ficando com você…

Antes: Venha para a cama, que eu estou lhe esperando…
Depois: Levanta, seu molenga, que tá na hora…

Antes: Vem cá, benzinho, que eu esquento seu pezinho…
Depois: Xô para lá com esse pé frio …

Antes: Meu bem pra cá, meu bem pra lá…
Depois: Meus bens pra cá, seus bens pra lá…

Se você identificou-se com essas declarações que o marido e a mulher fazem quando a relação está desgastada, pratique a humildade e busque ajuda para renovar seu casamento, resgatando aquilo que foi perdido: o respeito mútuo. Pequenas mudanças podem fazer toda a diferença no processo de renovação do relacionamento.

Que Deus o abençoe!

Josué Gonçalves É terapeuta familiar, escritor, pastor e apresentador do programa Família Debaixo da Graça, transmitido pela RedeTV!. Trabalha com o tema Família há 27 anos.