Coluna Josué Gonçalves: Quando o desequilíbrio financeiro é a causa de conflitos

Quem administra bem o dinheiro que ganha faz milagres

Josué Gonçalves - 03/02/2018 08h00

Prezados leitores do Pleno.News, hoje quero abordar um tema de interesse e preocupação para muitos casais: administração financeira. Vamos pensar juntos?

“Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura” (Is. 55:2).

Segundo uma pesquisa feita por um jornal nos Estados Unidos, 70% das nossas preocupações se concentram no dinheiro. Elsie Stapleton, especialista em economia doméstica, disse: “Muitas vezes o problema não está em não ter dinheiro suficiente, mas em não saber gastar o dinheiro que se tem”.

Na lista das causas dos conflitos no casamento, o desequilíbrio financeiro encontra-se como um dos principais problemas. Fatores de ordem econômica podem desestabilizar um bom relacionamento conjugal. Nunca se esqueça desta verdade: o segredo do sucesso financeiro não está no ganhar muito dinheiro, mas sim no “como se administrar” o que se ganha. Existem pessoas que ganham razoavelmente bem, mas não constroem nada, outras ganham bem menos e conseguem formar um bom patrimônio. A causa primária do desequilíbrio financeiro é a falta de uma boa economia doméstica. É preciso administrar o dinheiro com sabedoria.

Listo 18 regras que podem lhe ajudar:

1. Crie o hábito de anotar.
2. Os especialistas em economia doméstica recomendam que conservemos um registro exato de todo dinheiro que gastamos durante o primeiro mês – ou se possível durante três meses. Isso serve para que se tenha uma visão ampla de como gastamos o dinheiro. Você sabe para onde o seu dinheiro está indo?
3. Faça um orçamento realmente sob medida, que se ajuste às suas necessidades! A ideia de um orçamento não é tirar a alegria da vida; e dar-nos uma sensação de segurança que, em muitos casos, nos liberta das preocupações e mantém nossas despesas dentro da renda familiar.
4. Aprenda a empregar bem o seu dinheiro.
5. Se o dinheiro que você tem foi ganho com sacrifício pessoal, não se deve gastar sem critério. De certa forma, dinheiro é vida. A pessoa deixa parte de sua vida na empresa e no trabalho, que se transforma em dinheiro no final do mês.
6. Não aumente, com a sua renda, as suas dores de cabeça.
7. Não gaste mais do que ganha.
8. Antes de comprar pergunte: O quê? Quando? Onde? E, como comprar?
9. Questione-se se realmente precisa do que está comprando.
10. Não viva de aparências.
11. Faça investimento hoje, pensando no bem-estar e segurança para o futuro.
12. Não gaste dinheiro antes de ganhá-lo.
13. Não faça extravagância em nenhuma direção.
14. Saiba onde quer chegar; tenha objetivos e saiba estabelecer metas.
15. Não desperdice.
16. Seja generoso com os pobres.
17. Seja dizimista.
18. Tenha compromisso com as prioridades.

Quem administra bem o dinheiro que ganha faz milagres.

Então, pergunto a você: É certo a mulher pegar dinheiro do marido sem que ele saiba?

Se a mulher pega dinheiro sem que o marido saiba, podem existir duas razões básicas para este comportamento:
Primeira: Quando ele é exageradamente seguro, “mão fechada”.
Segunda: Quando ela adquiriu um mau hábito, muitas vezes quando ainda era criança. Em se tratando de “hábito ou vício”, é necessário que haja uma correção no caráter. Não sendo uma atitude correta, e honesta certamente será causa de grandes conflitos quando o marido descobrir.

Agora, se ela o faz porque o marido nunca atende às suas necessidades financeiras, ao mesmo tempo que é uma atitude justificável, não é interessante que seja assim. Se a esposa é sócia conjugal e os dois são “um”, o que se ganha e o que se gasta deve ser feito com transparência e equilíbrio. Todo exagero é prejudicial podendo, assim, ser demonstração de “avareza”.

Josué Gonçalves É terapeuta familiar, escritor, pastor e apresentador do programa Família Debaixo da Graça, transmitido pela RedeTV!. Trabalha com o tema Família há 27 anos.