Dicas de sabedoria para o sucesso (parte 6)

Avalie oportunidades, pague em dia, respeite impostos, evite dívidas, seja pró-ativo a fim de ser sábio e bem-sucedido

Josué Valandro Jr. - 08/06/2018 10h34

PRINCÍPIO 8: Seja ativo quanto às oportunidades que surgem. Não espere ou deixe para depois:

Você já viu alguém que teve uma ideia simples e que ao implantar esta ideia conseguiu um grande resultado? Não é incomum pensarmos: “Por que eu não pensei nisso antes?” Qual a diferença entre o sucesso e o insucesso? São muitas, mas uma se destaca. É a inoperância. Algumas pessoas simplesmente não têm disposição para transformar ideéias e sonhos, em realizações. Alguns até têm iniciativa, mas ao primeiro problema, diante dos primeiros obstáculos, recuam e desistem.

Provérbios 10:5 – “O que ajunta no verão é filho prudente; mas o que dorme na sega é filho que envergonha.”

PRINCÍPIO 9: Pague suas contas e impostos:

Uma das coisas mais chatas na vida de um cidadão ou mesmo de um empresário é pagar impostos absurdos e sem contrapartida. Isto não se discute. O problema é que em cima desta afirmação muitas pessoas constroem suas vidas pautadas pelo princípio de que contas e impostos adiados fazem de mim alguém com capital alheio para investimento pessoal. Isto é desonesto.

Algumas pessoas podem até ter o dinheiro para pagar uma conta, mas são adeptos da lei da esperteza. E acham que ganhar uma grana em cima do dinheiro dos outros é uma grande vantagem. Outros conseguem ter lucro mesmo bancando os impostos, mas se acostumaram com ganhos maiores sem cumprir com suas obrigações. Aí compram o que não poderiam ter com o dinheiro que um dia podem ter que devolver. Falência à vista.

O problema é que as contas adiadas chegam. Os impostos adiados chegam. E estas contas chegam não apenas em forma monetária. Esta postura de adiamento ou calote de pagamentos gera descrédito, riscos de multas e processos judiciais, o que promove insegurança de vida, pois a qualquer momento algo inesperado pode acontecer. Além disso, nada paga o preço da intranquilidade. Dormir e saber que o que se tem é verdadeiro e não sujeito a processos e ameaças, é melhor do que aquilo que o dinheiro pode comprar.

A família dos que não pagam contas e impostos tende a ter um desvio ético como realidade social aceita. Não é a toa que políticos desonestos geram filhos políticos desonestos como seus pais. Basta olhar para o Congresso Nacional. São muitos os exemplos.

Pague contas e impostos. Tenha enriquecimento real e sem ameaças externas previsíveis.

Provérbios 11:24 – “Um dá liberalmente, e se torna mais rico; outro retém mais do que é justo, e se empobrece.”

PRINCÍPIO 10: Seja cauteloso com o crédito:

Um dos direitos mais importantes da vida é a liberdade. Quando a pessoa perde sua liberdade, ela não é plena no agir, no planejar, no sonhar.

A liberdade é o que faz alguém dizer que não quer um vício que todos aplaudem, que não quer abrir mão da família, mesmo quando a TV a isto incentiva com suas histórias mentirosas; que não quer ir participar de um evento, ainda que com ingresso doado, por nada acrescentar aos seus valores. É a liberdade que faz você ser você.

Existe um escravizador voraz no mundo mercantilista. É o crédito. Alguns aplaudem crédito fácil, cartões de crédito sem muita burocracia, empréstimos facilitados. Ainda alguns inocentes ficam felizes demais com os créditos com desconto em folha de pagamento. E o pior é que isto atingiu muitos aposentados que morrem de desgosto ou falta de dinheiro para um remédio após créditos escravizantes.

Na verdade, o mercado não está dando crédito. Está escravizando. O Brasil tem taxas absurdas para todo e qualquer crédito que se faça, com destaque para o inescrupuloso e sanguinário juro dos cartões de crédito.

Temos que gastar o que temos. Poupar para comprar à vista o que não temos (e precisamos). Só se aplica crédito para aquisições de grande valor e pouca depreciação como é o caso dos imóveis. E mesmo assim é preciso muito cuidado para não perder a entrada e meses de pagamento devido ao sistema leonino de cobrança dos inadimplentes.

Provérbios 22:7 – “O rico domina sobre os pobres; e o que toma emprestado é servo do que empresta.”

 

Josué Valandro Jr. É o pastor presidente da Igreja Batista Atitude da Barra da Tijuca, no Rio. Se graduou em teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil e informática pela PUC-RJ. Pós-Graduado em gestão estratégica de recursos humanos pela UNILESTE-MG, e mestrando em teologia pelo Southeastern Baptist Theological Seminary, na Carolina do Norte (USA). Casado com Bianca, Valandro é pai do Lucas e do Gabriel.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo