Coluna Josué Valandro Jr.: A capacitação do cristão – parte 1

Você se sente capacitado para seu trabalho? Para atuar em sua família? Ou para trabalhar na igreja, se Deus assim o chamar?

Josué Valandro Jr. - 12/01/2018 08h10

Prezados leitores do Pleno.News, nesta e na próxima semana, quero conversar sobre capacitação. Você se sente capacitado para seu trabalho? Para atuar em sua família? Ou para trabalhar na igreja, se Deus assim o chamar? Vamos pensar um pouco sobre isso?

Certa vez, perguntei ao meu filho Lucas de 3 anos porque ele não trabalhava. Ele me respondeu: “ainda sou pequenininho”. Parece que essa tem sido a realidade de muitas pessoas. Elas têm aceito a Cristo, mas não conseguem crescer e produzir. Ficam pequenininhos na visão, na obra e na vida. Sempre ouvimos que o cristão tem uma missão. Os púlpitos cobram atitudes. Surge uma pergunta: Estão os crentes capacitados para essa missão? E se não, por quê não? Será que é porque não se tem tempo? Ou os crentes é que não querem nada? Ou ainda, será que as igrejas é que estão falhando na capacitação desses crentes? Ilusão achar que capacitação virá só da oração: “capacita-nos”, sem ação. Deus capacita a quem age. Tem muita gente errando por não entender que não está capacitado. Já outros não se acham capacitados mas têm feito grande obra. Como você está?

(Leia Êxodo 2:11-15; 3:1 – 4:17).

É muito conhecida a história de Moisés: Faraó mandou matar os meninos que nascessem em meio ao povo hebreu. Então, Moisés é adotado pela filha de faraó que o encontrou num cesto dentro das águas. É desmamado pela própria mãe, Joquebede e depois vai para o palácio onde é instruído como príncipe egípcio em toda cultura, leis, tecnologia e gestão administrativa de uma das maiores nações do mundo da época. Em Atos 7:22 lemos que Moisés foi “instruído em toda sabedoria dos egípcios e era poderoso em palavras e obras”.

Quero chamar sua atenção para dois momentos na vida de Moisés que mostram oscilação entre a incapacidade e a capacidade integral. A partir da análise desses momentos buscaremos identificar o caminho para sermos capacitados para desempenhar bem nossas funções na família, na atividade secular e no ministério específico que Deus nos delegue.

No 1º momento: Moisés se sente CAPAZ de ajudar seu povo. (Êxodo 2:11-15)
Ele vê um egípcio humilhando um hebreu. Não olha a oportunidade que tinha de abençoar todo o povo (milhares de pessoas) de uma vez só; se descontrola e para defender um homem acaba cometendo um erro ainda maior matando um egípcio. Como resultado teve que fugir para as terras de Midiã.

Se o entrevistássemos, ele diria que queria ajudar seu povo e tinha condições para isso, mas deu tudo errado. Assim, em vez experimentar alegria, estava decepcionado. Até seu povo não o entendeu e comentou pela cidade seu erro. Por causa de sua atitude desperdiçou todo preparo intelectual e o acesso aos níveis de decisão que tinha por ser príncipe. Tinha TUDO para fazer algo grandioso para o povo de Deus e jogou tudo fora. Nesse primeiro momento ele está completamente altivo, seguro de si mesmo. Ele tomou à frente e decidiu fazer justiça com suas próprias mãos. Ele queria ser o libertador, o vingador, o protetor, o justiceiro. Moisés tinha capacitação técnica e caráter, mas faltava capacitação emocional e espiritual.

No 2º momento: Moisés se sente INCAPAZ de ajudar seu povo. (Êxodo 3:1 até 4:17)
Após 40 anos no deserto como fugitivo, ele é convocado a libertar o povo; Deus se revela numa sarça que pegava fogo mas não era consumida. Deus fala frente a frente com Moisés sobre o sofrimento do povo e diz que estará com ele nesta luta. No verso 10, do capítulo 3, vemos isto com muita clareza quando Deus diz: “Eu te enviarei…”. Deus queria agregar Seu poder à audácia e autoridade natural de Moisés, bem como ao seu senso de justiça.

Entretanto, Moisés não acreditava em seu potencial e apresentou quatro objeções:

  1. Êxodo 3:11 – “quem sou eu, para que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?”. – Moisés sabia da pompa egípcia e que povo já o havia rejeitado quando ainda era importante. Não se sente capaz de chamar a atenção das pessoas agora que é apenas um criador de animais. Não é o mesmo que acontece conosco hoje? Não nos sentimos pequenos para coisas que adoraríamos fazer?
  2. Êxodo 3:13 – “O que direi quando perguntarem qual é o Seu nome?”. – O nome indicava o caráter que o indivíduo representava. Ou seja, Moisés está questionando se crerão que este é o deus que pode libertá-los de tamanha escravidão. Deus responde: “Diga que Eu Sou o que Sou”, em outras palavras, diga que “Eu Sou o único Deus”, “Aquele que pode todas as coisas”.
  3. Êxodo 4:1 – “Não me crerão, nem ouvirão a minha voz porque dirão que o Senhor não me apareceu”. – Em outras palavras: “Não terei provas da Tua conversa comigo”. Deus fez prodígios transformando a vara em serpente e a mão sã em mão leprosa, para dar demonstração das provas que daria a Moisés, e nem assim ele se convenceu, apresentando a quarta objeção.
  4. Êxodo 4:10 – “Não sou homem eloquente. Sou pesado de boca”. – Agora está dizendo: “Eu não sei falar”. Valorizou seu defeito ao máximo como se fosse um terrível empecilho àquela missão.

Mesmo após as respostas de Deus para as quatro objeções, Moisés insistiu em fugir de sua missão: “Manda outro” (4:13).

Então, se entrevistássemos Moisés no segundo momento, ele diria: “Eu realmente não consigo, não tenho condições de realizar essa obra”. Em todos os casos Moisés estava duvidando mais de Deus do que de si próprio.

Mas a história mostra que Moisés acabou aceitando sua missão. Foi ao Faraó e este resistiu. Então Deus enviou dez pragas até que o Faraó deixasse o povo sair. Ele se arrependeu e seguiu o povo, mas as águas do Mar Vermelho se fecharam sobre seus soldados e cavalos, aniquilando o exército egípcio.

O que constatamos é que na verdade Moisés estava capacitado justamente no momento em que menos se sentia capacitado. Agora, existe uma capacitação além da técnica e humana; é a espiritual. Que obra Deus fez através de Moisés. Que prazer incalculável!

Eu pergunto: Você está capacitado para o que precisa realizar? Está capacitado para uma obra relevante para o seu Deus?

Na próxima semana retornarei a esse assunto. Um abraço!

Josué Valandro É o pastor presidente da Igreja Batista Atitude da Barra da Tijuca, no Rio. Se graduou em teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil e informática pela PUC-RJ. Pós-Graduado em gestão estratégica de recursos humanos pela UNILESTE-MG, e mestrando em teologia pelo Southeastern Baptist Theological Seminary, na Carolina do Norte (USA). Casado com Bianca, Valandro é pai do Lucas e do Gabriel.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo