Coluna Josué Valandro Jr.: A capacitação do cristão – última parte

Você entende sua vocação, confessa sua fraqueza, não se recusa a passar pelo deserto, e está pronto a aceitar o desafio que lhe permitirá ver as maravilhas e a Glória de Deus?

Josué Valandro Jr. - 26/01/2018 08h00

Queridos leitores do Pleno.News, semana passada e retrasada falamos sobre capacitação. Hoje, quero retomar e finalizar este assunto.

Vim falando sobre Moisés e o fato de estar capacitado ou não para atender ao chamado de Deus. Semana passada abordamos três tópicos do chamado à capacitação:

1)Para que sejamos cristãos capacitados precisamos entender nossa vocação
2) Para que sejamos cristãos capacitados precisamos deixar as declarações de desculpas pelas declarações de confissão
3) Para que sejamos cristãos capacitados precisamos entender que os desertos da vida são preparações para nosso chamado.

E, hoje, quero abordar os dois últimos aspectos.

4) Para que sejamos cristãos capacitados precisamos entender que se não aceitarmos o desafio não veremos as maravilhas do Senhor
Moisés viu as dez pragas sobrenaturais sobre o Egito através de sua vida. Presenciou a abertura do Mar Vermelho, formando muralhas de água, e o povo passando a seco por ali. Moisés esteve diante de Deus no monte que parecia uma tocha acesa, no qual nenhum outro homem se arriscava a subir. Todos os dias via a chuva do Maná para alimentar o povo. Presenciava a nuvem que dava sombra ao povo de dia e a coluna de fogo que aquecia o povo durante a noite. Enfim, Moisés teve inúmeras experiências com o sobrenatural porque aceitou desafio de atender seu chamado. Inclusive, teria visto sua língua pesada falar normalmente se deixasse de tanta desculpa (mas essa bênção ele perdeu).

O quero dizer é que se você quiser viver uma vida sem compromisso com Deus e sua igreja, nunca será usado para uma obra que envolva milagres. Terá uma vida medíocre, sem sal, sem experiências de fé.

Nos acostumamos com o natural, o normal. Mas, não deveria ser assim! A falta de milagres em vidas e ministérios têm provocado o desejo de aumentar a dimensão dos fatos para se poder contar uma bênção. Precisamos fazer valer a promessa de Jesus: “Coisas ainda maiores que as que faço, vocês farão!” (João 14:12). Temos que nos acostumar com o sobrenatural, com o poder de Deus.

5) Para que sejamos cristãos capacitados precisamos ter um encontro com a Glória de Deus
Foi ao ver a sarça ardente que Moisés começou sua trajetória para uma grande obra. Foi destemido em tentar entender que fenômeno era aquele, muitos outros ainda correriam. Mas Moisés estava atento às circunstâncias ao redor e disse “quero te ver Senhor”.

Enquanto ficarmos discutindo detalhes sem maior relevância, não teremos encontro com a Glória de Deus. A fórmula é: Capacitação sem unção = decepção. Além do preparo conceitual, precisamos da prática espiritual. O que falta à igreja é poder! O que falta ao cristão é o Poder!

Em Êxodo 34 vemos que após 40 dias e noites, no monte, Moisés provou a Glória de Deus. Seu rosto brilhava e o povo viu a Glória, a Shekiná, em sua vida.

Hoje estamos numa situação melhor que a de Moisés, pois a Glória ia e voltava, mas agora ela pode agir o tempo todo na vida do crente, pois o Espírito Santo habita no salvo. Sem crer nisso, não lutaremos por isso! O crente que quer ser capacitado para uma obra relevante precisa aprender a ser íntimo de Deus. É preciso subir o monte, estar com Deus e depois descer para ser bênção.

Em Êxodo 4:27 vemos que quando Arão foi procurar Moisés, o achou no Monte de Deus. Depois que ele viu a Glória de Deus, não queria outra coisa. Talvez você ache que não dá mais para ver Glória de Deus porque você já falhou muito em sua vida e ministério. Lembre-se que quando Moisés desceu do Monte com as Tábuas da Lei, pôde ler um mandamento que teoricamente seria complicado para ele. Ele disse: “Não matarás”. Sabe porque ninguém questionou sua moral para trazer tal mandamento? É que falou isso refletindo a Glória de Deus. Viram, temeram e respeitaram a Glória na vida do líder. Se tivermos a Shekiná de Deus, ninguém interromperá a execução do chamado que nos concedeu o Senhor.

Para concluir, gostaria de ressaltar que Moisés tomou uma decisão de cumprir sua missão a qualquer preço (Êxodo 4:18). Ele faria sua parte, apesar de não se sentir capacitado. Confiaria que o Senhor o capacitaria para a obra que marcaria a história. Ele entendeu sua vocação, confessou sua fraqueza, não se recusou a passar pelo deserto. Então, aceitou o desafio que lhe permitiu ver as maravilhas e a Glória de Deus.

Você crê que pode acontecer o mesmo com você? Creia e veja que grande obra Deus fará através de sua vida! Que ao final de suja vida, você possa repetir as palavras do apóstolo Paulo, dizendo: “Combati o bom combate, acabei minha carreira, guardei a fé!”.

Amém!

Josué Valandro É o pastor presidente da Igreja Batista Atitude da Barra da Tijuca, no Rio. Se graduou em teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil e informática pela PUC-RJ. Pós-Graduado em gestão estratégica de recursos humanos pela UNILESTE-MG, e mestrando em teologia pelo Southeastern Baptist Theological Seminary, na Carolina do Norte (USA). Casado com Bianca, Valandro é pai do Lucas e do Gabriel.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Envie sugestões por WhatsApp
+55 (21) 97150-9158