Auto-estima tem limite

Por que será que tantos líderes tem experimentado o esgotamento físico, emocional e espiritual?

Josué Valandro Jr. - 21/06/2019 12h00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A auto-estima é fundamental para que alguém acredite em um projeto de vida, em um sonho, em uma caminhada de sucesso. Um líder precisa de auto-estima para vencer as acusações, palavras de desânimo, e dificuldades em geral, que qualquer projeto apresenta. Pessoas que só veem suas falhas e limitações, dificilmente perceberão as suas potencialidades e a maior delas que é a fé para ver Deus agir em prol de um projeto em nossa vida, desde que seja para glória dEle.

Vale ressaltar, no entanto, o texto de Romanos 12.3, que afirma: “Ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, ao contrário, tenha um conceito equilibrado…”. Um líder que se acha capaz de fazer tudo, o tempo todo, e sozinho; um líder que acha que tudo em que coloca a mão dará certo, e de primeira; está passando do limite da auto-estima coerente. Acreditar em si, acreditar em um sonho, acreditar que o fim das coisas será de conquista, faz bem. Mas tomar para si a responsabilidade de fazer tudo acontecer, pode ser um detalhe que mate tudo o que se sonha. Um líder não pode super estimar suas habilidades e potencialidades. Ele não sabe tudo, e não tem condição de fazer tudo sozinho. Não pode ignorar a opinião de todos e, achar que vai vencer sem contar com o potencial alheio.

Por que será que tantos líderes tem experimentado o esgotamento físico, emocional e espiritual? Por que tanta gente vitoriosa; de repente, se vê acometida de uma depressão, de um stress que tira o prazer de trabalhar e empreender? O hábito de centralizar as coisas e concluir que pode fazer mais do que realmente consegue pode se tornar uma rotina de vida, depois uma enfermidade, e talvez o fim de um sonho possível.

Em Eclesiastes 9:10 vemos um conselho precioso do sábio Salomão: “O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força, pois na sepultura, para onde você vai, não há atividade nem planejamento, não há conhecimento nem sabedoria”. O texto é claro em orientar que se faça o que estiver ao alcance de suas mãos. Não adianta tentar fazer o que não alcançamos sozinhos, e perder até o que nós realmente conseguiríamos fazer. Não se deve fazer além, e nem aquém, das forças. É fazer o nosso melhor, e pronto. Cada pessoa recebeu de Deus aptidões, talentos e só devemos corresponder ao que Ele espera de nós.

Super estimar a si mesmo e tentar fazer mais do que se é capaz pode significar uma resposta à própria vaidade ou uma tentativa de viver para impressionar a alguém que tem uma expectativa sobre nós. O líder deve ser coerente e procurar atender apenas a expectativa de Deus sobre sua vida. Do contrário, a frustração é a próxima estação.

Você tem feito da melhor maneira possível o que realmente consegue fazer? Analise sua conduta. Proteja suas emoções!

 

Josué Valandro É o pastor presidente da Igreja Batista Atitude da Barra da Tijuca, no Rio. Se graduou em teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil e informática pela PUC-RJ. Pós-Graduado em gestão estratégica de recursos humanos pela UNILESTE-MG, e mestrando em teologia pelo Southeastern Baptist Theological Seminary, na Carolina do Norte (USA). Casado com Bianca, Valandro é pai do Lucas e do Gabriel.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo