CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Opinião Vinicius Cordeiro e Bruna Franco: Saiba mais sobre o “resfriado dos gatos”

Opinião Ilona Facchini: Aprendendo a orar com as crianças

Orar como uma criança é correr imediata e instintivamente para Deus

ILona Garijo Facchini - 23/03/2018 09h15

Nenhuma experiência é mandatória para falar com Deus. Em vez disso, é preciso humildade, honestidade e simplicidade. Afinal, o próprio Jesus disse que devemos “receber o reino de Deus como criancinha” (Lucas 18:17), e visto que a oração é certamente um ato pelo qual recebemos o reino de Deus, dia a dia e a cada momento, faz sentido orar não como um especialista, nem como um profissional ph.D. cheio de palavras difíceis, mas como uma criança pequena.

Meus alunos da escola bíblica e minhas filhas me ensinam o que significa orar como uma criança e compartilho aqui parte do meu processo de aprendizado:

1. Corra para Deus quando aparecer um trovão.
Por exemplo, minha filha caçula tem muito medo de trovão. Quando o céu começa a escurecer, a tempestade e as nuvens se juntam, ela já começa a ficar atenta. Ela pode estar envolvida com alguma brincadeira ou penteando suas bonecas, mas ela fará uma pausa e erguerá a cabeça para escutar. Ela voltará a brincar apenas quando tiver certeza de que não há raios ou trovões na área. No primeiro barulho, por mais longe que esteja, ela deixa tudo o que está fazendo, corre para mim ou para o meu marido e nos abraça forte.

Toda vez que eu a vejo fazendo isso, eu me identifico muito, não com medo do trovão, mas no meu desejo de correr rapidamente para o abraço do meu Pai sempre que uma tempestade chega.

Orar como uma criança é correr quando as tempestades da vida chegam, correr para o abraço de espera do seu Pai Celestial.

2. Corra para Deus quando você acordar.
Ao acordar as crianças vão ao encontro dos pais. No meio da noite então, quando são acordadas por um pesadelo, minhas filhas correm imediata e instintivamente para a nossa cama.

Orar como uma criança é correr imediatamente e instintivamente para Deus ao despertar.

Tento ensinar às minhas filhas a importância de estar sempre pertinho de Jesus e fico emocionada ao ver que quando elas acordam abrem a cortina do quarto e dizem bem alto “Bommm dia, Papai do Céu”.

3. Corra para o quarto e troque de roupa quando estiver cansado e impaciente.
A minha filha mais velha de vez em quando fica sem combustível e fica cansada e impaciente. Quando isso acontece, ela imediatamente vai para o seu quarto, fecha a porta, troca de roupa e volta tranquila e feliz. Ela não sabe, é claro, que seu mau humor tem uma explicação física, ela só sabe que precisa ficar sozinha no quarto e trocar de roupa para voltar aos braços da mamãe e do papai.

Essa é outra maneira de orar como uma criança: corra para o seu quarto, feche a porta, peça que Deus renove as suas vestes quando você estiver cansado e rabugento. “E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição” (Colossenses 3:14).

4. Gratidão.
Aos domingos pela manhã ministro aulas para uma classe de 5 anos de idade na Escola Bíblica da minha igreja. É uma turminha animada, a classe é lotada, são cerca de 30 crianças que vão brotando e se multiplicando a cada domingo para a nossa alegria. Quando pergunto quem gostaria de vir à frente para orar agradecendo o lanchinho, o tumulto se instala! É divertido e engraçado, todos querem ser “o escolhido” para orar e agradecer naquele dia.

Uma motivação que nos contagia e nos dá um belo exemplo de gratidão intensa desses pequeninos que já entendem o significado e a importância de agradecer.

Certamente essas não são as únicas maneiras de orar como uma criança, é claro, mas esses exemplos de oração me ajudam a lembrar que não preciso buscar a perfeição, mas sim a humildade infantil, honestidade e simplicidade.

Ilona Garijo Facchini, há 17 anos no mercado de Treinamento & Desenvolvimento, conquistou sólida carreira no Brasil e no exterior. Suas centenas de palestras já foram assistidas na Argentina, Chile, Colômbia, México, Venezuela e Estados Unidos. Ela é Psicóloga Educacional e Organizacional, especialista em Desenvolvimento Infantil, Formação de Lideranças e Equipes.