A desgraça deste tempo é a arrogância dos medíocres

As pessoas não querem exercitar seu espírito crítico

Helder Caldeira - 16/01/2020 17h13

Eu achava que o mal do nosso tempo eram as fake news. Estava errado. A desgraça deste tempo é a arrogância dos medíocres.

1. O jornal O Globo ou a Folha de S. Paulo publicam: “Helder Caldeira gosta da cor verde”;

2. Eu venho a público e confirmo: “Sim, realmente gosto da cor verde”;

3. Se isso afeta a imagem das militâncias de lá ou de cá, ainda que eu tenha confirmado a informação publicada, vão sobrar postagens dizendo: “É fake news!”, “Conheço Helder e ele não gosta de verde!”, “Quem publicou foi O Globo? Lixo!”, “Matéria da ‘Foia’? É fake!” ou “Não existe a cor verde. Isso é ilusão de ótica e prova que a Terra é plana!”.

As pessoas não querem ler, porque não as interessa qualquer outra coisa senão suas cartilhas mofadas, suas doutrinas anacrônicas. As pessoas não querem exercitar seu espírito crítico (e isso não significa arrotar impropérios em redes sociais), porque tornaram-se mentalmente preguiçosas. As pessoas não querem nada além do frango assado que cabe em suas caixas cranianas.

Noutras palavras, cada um na sua retumbante insignificância se acha mais verdadeiro do que a própria verdade, nem que para tanto seja necessário mentir.

Vivemos o tempo da arrogância dos medíocres.

Helder Caldeira é escritor, colunista político e palestrante. Há duas décadas atua e escreve sobre a Política brasileira. É autor dos livros ‘Águas Turvas’, ‘Bravatas, gravatas e mamatas’, ‘Pareidolia política’, entre outros. Contato: eventos@heldercaldeira.com.br