Suassuna, Chimbinha e a violência no Brasil

O Brasil está em guerra. O Rio de Janeiro está em guerra. Precisamos cada vez mais de orações e ações

Fábio Guimarães - 18/06/2018 15h10

Suassuna, Chimbinha e a violência no Brasil Foto: Pixabay

A violência no Brasil, em geral, e no Rio de Janeiro, em particular, atingiu níveis absurdos. O Atlas da Violência 2018, recente estudo publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA demonstra que pela primeira vez o Brasil ultrapassou a marca de 30 homicídios para cada 100 mil habitantes.

A cidade do Rio de Janeiro chega a 34,9 homicídios e a cidade de Queimados, na Baixada Fluminense, chega a inacreditáveis 134,9 homicídios para cada 100 mil habitantes. Queimados, com este número, é considerada a cidade mais violenta do Brasil.

Esta estatística faz referência aos dados de 2016, últimas informações disponíveis para estudo. São 62.517 homicídios neste período no país, sendo que mais de 50% de todos os homicídios estão situados em apenas 123 municípios brasileiros (2,2% do total de municípios).

As dez cidades mais violentas do país são estas:

Certa vez, o escritor Ariano Suassuna ficou indignado, com razão, com um jornalista que chamou o guitarrista Chimbinha, da Banda Calypso, de genial. Ele disse mais ou menos isso… Sou escritor, sei que não se pode gastar adjetivos à toa. Se gasto o adjetivo ‘genial’ com Chimbinha, o que vou falar de Beethoven?”. Perfeito!

Porque lembramos do genial Suassuna?

Segundo a ONU, um índice de mais de 30 mortos para cada 100 mil habitantes é considerado estado de guerra.

O Brasil está em guerra. O Rio de Janeiro está em guerra.

Mas lembrando a indignação de Suassuna com o adjetivo deferido a Chimbinha, levando em consideração que o índice de Queimados, por exemplo, é mais de quatro vezes maior do que a ONU considera guerra. Chego à conclusão que, infelizmente, não temos condições de atribuir um adjetivo a nenhum destes 10 municípios citados. Triste, muito triste.

O Brasil precisa cada vez mais das nossas orações e ações.

Vamos em frente!

Fábio Guimarães é economista, formado pela UFRRJ com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-RJ. Palestrante, consultor e debatedor, atuou por mais de 10 anos como gestor nas áreas de trabalho e renda e desenvolvimento econômico.