Segunda-feira tem Governo

Vá a urna e vote, mais do que nunca o Brasil precisa de mudanças

Fábio Guimarães - 23/10/2018 12h42

Com você ou sem você segunda-feira tem Governo. No domingo, com ou sem o seu voto, já teremos o nome do próximo comandante da nação. Por isso vá às urnas, vote!

As pesquisas e as urnas no primeiro turno indicam que a população busca mudanças através de um viés conservador, Bolsonaro é a opção que o Brasil tem nesse lado da “trincheira política” que sangrou a sociedade brasileira nestes últimos três meses de uma conturbada “gestação eleitoral”.

O que esperar do futuro? Como vamos conseguir melhorar a qualidade de vida das pessoas neste cenário conturbado que estamos vivendo? Definitivamente são indagações difíceis de serem respondidas.

Manifestação a favor de Bolsonaro e contra o PT, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília Foto: José Cruz/Agência Brasil

O próximo comandante do país terá um enorme desafio pela frente, vamos aqui citar pelo menos quatro vetores de trabalho:

1. Combate à corrupção
Essa chaga que tomou conta das instituições brasileiras em todos os níveis de Governo precisa ser prioridade de trabalho de todos os próximos governos, erradicar deve ser a meta. Se utópica, que pelo menos consigamos diminuir e muito esse desperdício de recursos públicos que mata milhares de brasileiros todos os anos.

2. Segurança jurídica
Não vamos nos desenvolver sem ter regras claras de governança e respeitos as leis. Aqui as “regras do jogo mudam a todo instante, com o jogo em andamento”. Isso afugenta recursos internacionais, encarece o crédito e como consequência atrasa ainda mais nosso desenvolvimento econômico e social.

3. Reforma política
É fundamental que consigamos mudar as regras eleitorais, não faz sentido termos 35 partidos em atividade e mais de 60 em processo de constituição. É inadmissível gastarmos mais de dois bilhões de reais de recursos do cidadão para bancar campanhas eleitorais. Num país que precisa tanto combater a corrupção é triste e crescente o sentimento de indignação popular por parte do cidadão que paga para o político fazer campanha eleitoral, ganhar a eleição e em muitos casos estar apto para “subtrair” mais um pouco do seu dinheiro.

4. Reforma previdenciária
Precisamos combater os privilégios que existem. A reforma é necessária, não a que foi proposta por este governo que está findando, mas sim uma verdadeira reforma que ataque os privilégios, entenda o sistema de seguridade social como a junção constitucional das rubricas de Previdência, Assistência e Saúde, e assim retire dos cálculos de gastos da “previdência” contas que são da “seguridade social” e precisam ser garantidas com recursos do tesouro e não dos contribuintes previdenciários.

Esses desafios não são os únicos, mas são um bom começo de trabalho para 2019. Vamos em frente, o Brasil precisa mudar!

Fábio Guimarães é economista, formado pela UFRRJ com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-RJ. Palestrante, consultor e debatedor, atuou por mais de 10 anos como gestor nas áreas de trabalho e renda e desenvolvimento econômico.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Envie sugestões por WhatsApp
+55 (21) 97150-9158