O valor da informação

A informação, em todos os seus aspectos, é a principal matéria prima das empresas deste século XXI

Fábio Guimarães - 25/09/2017 14h37

Na sociedade da informação, as empresas de tecnologia dominam as bolsas de valores ao redor do mundo. Há alguns anos era inimaginável que uma empresa como o Google, com 19 anos de existência, pudesse ter um valor de mercado maior que a gigante mundial Coca-Cola com 125 anos de vida.

Pesquisa divulgada pela Interbrand demonstrou que as empresas de tecnologia Apple, Google e Microsoft continuam no topo da lista das marcas mais valiosas do mundo.

A Apple tem o valor de mercado de US$ 184,15 bi, um aumento de 3% em relação a 2016. Já o Google tem seu valor projetado em US$ 141,70 bi, com um avanço de 6% em relação ao ano passado, e por fim a Microsoft apresentou um crescimento de 5% com valor de US$ 80 bi.

O quarto lugar ficou com a empresa “do século passado”, a Coca-Cola perdeu 5% de seu valor global e está avaliada em US$ 69,73 bi.

Por fim, a quinta colocada do ranking é a empresa de comércio eletrônico Amazon, com um valor de US$ 64, 80 bi e um vertiginoso crescimento de 29% em relação ao ano passado.

Os números dessa pesquisa refletem o que já temos debatido aqui neste espaço em outras colunas, estamos em uma mudança de era, onde a convergência tecnológica acelera os processos produtivos e a informação, em todos os seus aspectos é a principal matéria prima das empresas deste século XXI.


Fábio Guimarães é economista, formado pela UFRRJ com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-RJ. Palestrante, consultor e debatedor, atuou por mais de 10 anos como gestor nas áreas de trabalho e renda e desenvolvimento econômico.