O trabalhador do século 21

Estamos prontos para a era do trabalho deste século 21?

Fábio Guimarães - 13/11/2017 17h03

A tecnologia está mudando rapidamente o mundo do trabalho

Essa semana entrou em vigor as novas regras que atualizaram a Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT. Muitas dessas novas regras são consequência direta das mudanças ocorridas nas relações de trabalho em função da tecnologia.

As distâncias diminuíram, em alguns casos “sumiram”; a necessidade de grandes escritórios, máquinas pesadas, presença física de trabalhadores no local de trabalho, como sinônimo de produtividade, não existe mais e por aí vai.

No século passado nós, trabalhadores, buscávamos empregos. Nossa cultura era voltada para a inserção formal no mercado de trabalho após a fase estudantil, de preferência buscando uma empresa grande e séria para assim podermos “fazer carreira” nessa empresa até se aposentar.

Não existe problema nenhum nesse tipo de expectativa, era válido. Mas hoje o mundo mudou e nós precisamos mudar com ele, senão corremos o risco de ficar para trás.

Hoje, com raras exceções, não temos mais empregos e sim, trabalho. Muitos acham que emprego e trabalho são sinônimos, mas na verdade não são. O conceito de emprego é o exposto no “fazer carreira” que comentamos, algo em extinção; já o trabalho é uma tarefa específica, é pensarmos em nossa carreira como se fôssemos uma empresa, a “Você Ltda”. Ou seja, você sabe quais são suas competências e vai buscar trabalho em empresas que lhe ofereçam a melhor contrapartida para a dedicação de sua mão de obra, pode ser o salário, os benefícios, o bem-estar, flexibilidades e tantas outras variáveis que julgue importante para você.

E quanto tempo pode durar esse trabalho? Essa pergunta é difícil de ser respondida, pois depende diretamente do planejamento da empresa contratante e do seu planejamento de carreira. Não esqueça que seu pensamento também precisa evoluir para o modelo de pensamento “Você Ltda”. Esse trabalho pode levar 6 meses, 1 ano, 5 anos, 10 anos ou em casos excepcionais toda a sua carreira profissional. Mas esse tempo será definido por “acordos implícitos”, entre você e seu contratante, em que de tempos em tempos vocês irão pensar, analisar e alinhar suas expectativas. E, assim, chegar à conclusão se a parceria para esse trabalho, essa tarefa específica, continua gerando sinergia para ambos os lados.

Importante destacar que quando falo que o profissional do século XXI deve pensar como “Você Ltda” nada tem a ver com a forma de vínculo entre o trabalhador e a empresa que irá trabalhar. Estou falando de algo maior, de uma mudança cultural, de pensamento do trabalhador. O seu vínculo será o que melhor lhe agradar nessa parceria de trabalho, podendo ser como celetista ou não.

Estamos prontos para a era do trabalho deste século XXI? Estudos apontam que pelo menos 70% dos trabalhos existentes hoje não existirão daqui a 20 anos e, provavelmente, o trabalho do seu filho ainda nem foi inventado. Precisamos pensar sobre o futuro que vamos construir e como sociedade responder a essa pergunta.

Fábio Guimarães é economista, formado pela UFRRJ com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-RJ. Palestrante, consultor e debatedor, atuou por mais de 10 anos como gestor nas áreas de trabalho e renda e desenvolvimento econômico.