Eleições 2018 – Princípios e qualidades!

Honestidade é pré-requisito fundamental para exercer a cidadania, não deveria ser entendida como qualidade

Fábio Guimarães - 02/07/2018 17h31

Vivemos um momento de incertezas na economia, consequentemente na geração de empregos e renda. O combate à corrupção parece uma luta de “Davi contra Golias”. Como sair deste cenário desolador?

Essa resposta não é simples, porém algumas mudanças, seja na legislação ou na prática do poder político e econômico, podem ser o início de uma sociedade melhor.

Precisamos de uma sociedade onde a ética e a honestidade sejam pré-requisitos dos cidadãos e dos governantes. Parece que hoje em dia tais características soam mais como qualidades. Uma pena.

Quando entendemos princípios fundamentais como qualidades não damos espaço para discutirmos verdadeiramente as qualidades que precisamos ter para construirmos uma sociedade justa. Por exemplo, quando pensamos na honestidade como “qualidade” para a solução do problema “políticos corruptos”, temos como consequência querer um honesto governando, mas não damos a devida atenção e importância do mesmo ser competente, bom gestor, tecnocrata, responsável e eficiente no gasto dos recursos públicos.

Roubar dinheiro público assola um país inteiro, entendemos perfeitamente isso. No entanto, alocar escassos recursos públicos de forma irracional, sem eleger prioridades e de forma incompetente é tão danoso para sociedade quanto à corrupção.

As eleição de 2018 vêm aí, fique de olho nos candidatos e busque informações. Que as nossas decisões passem pela análise dos pré-requisitos e das qualidades dos candidatos. Vamos em frente!

Fábio Guimarães é economista, formado pela UFRRJ com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-RJ. Palestrante, consultor e debatedor, atuou por mais de 10 anos como gestor nas áreas de trabalho e renda e desenvolvimento econômico.