Como lidar com a tragédia?

De grandes tragédias nascem histórias de vida recheadas de motivação, superação e propósito

Fábio Guimarães - 15/04/2019 11h44


Vivemos semanas de tristes notícias no país. Tragédias assolam famílias inteiras e entristecem a todos nós que buscamos, dia a dia, uma fonte de inspiração para viver. Sobreviver virou rotina para muitos brasileiros, viver, na plenitude do termo, infelizmente, virou exceção. Chuvas, inundações, deslizamentos e desabamentos, palavras que ocuparam os noticiários recentes. Como lidar com a tragédia?

Essa pergunta não tem uma resposta fácil, pois não existe resposta única. Cada um de nós precisa buscar motivos para ser feliz e viver uma vida cheia da presença de Deus. Só assim podemos, nem que seja instintivamente, ser felizes.

Apesar de não termos uma receita pronta, receita como as de bolo, que levam açúcar, farinha, ovo, leite e manteiga, podemos, sim, definir alguns ingredientes que são imprescindíveis, que, interligados, trabalham em sintonia, já que um não vive sem o outro e são eles a motivação, a superação e o propósito.

A motivação pode ser definida como o “impulso que faz com que as pessoas ajam para atingir seus objetivos”, é um processo que nos inspira a ir em frente, atingir objetivos, estes, normalmente são traçados em virtude de buscarmos algo maior, um propósito de vida, alcançar algo grandioso, nossa meta. Estar motivado e ter uma meta é o mesmo que iniciar uma grande caminhada, sabendo onde é a linha final, a reta de chegada, mas com a consciência de que o trajeto é longo e possuí obstáculos. E neste momento que entra em cena a superação, aquela vontade que nos faz ir além, buscar forças de onde nem imaginávamos existir, atingindo assim nossos propósitos.

De grandes tragédias nascem histórias de vida recheadas de motivação, superação e propósito. Temos exemplos de mães que perderam seus filhos para a violência e trabalham dia e noite em busca de paz. Temos exemplos de famílias inteiras que buscam melhorar a educação, a saúde, a segurança da população, porque, no passado, viveram uma tragédia em virtude da falta de eficiência destas políticas públicas. Temos mães e pais que trabalham dia e noite com foco na melhoraria das condições de vida de pessoas com deficiência ou doenças raras, e que foram motivados por uma tragédia que levou seus filhos a uma condição de deficiência transitória ou permanente.

Poderíamos citar muitos outros exemplos, mas o que vale neste momento é termos a certeza de que cada um de nós pode buscar um propósito que nos motive e nos faça superar todos os obstáculos para vivermos uma vida plena, com a Graça de Deus, e não apenas sobreviver nesta terra.

“Pois em ti está a fonte de vida; graças a tua luz, vemos a luz” (Salmos 36:9).

Fábio Guimarães é economista, formado pela UFRRJ com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-RJ. Palestrante, consultor e debatedor, atuou por mais de 10 anos como gestor nas áreas de trabalho e renda e desenvolvimento econômico.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo