Opinião Fábio Guimarães: Raios X dos empregos no Brasil em 2017

O Brasil fechou 20,8 mil postos de trabalho em 2017. Precisamos gerar empregos para suportar o número de empregados que anualmente se inserem no mercado e combater o desemprego

Fábio Guimarães - 19/02/2018 08h15

Segundo dados do Ministério do Trabalho – MT, o Brasil fechou 20,8 mil postos de trabalho no ano de 2017. Esses dados fazem parte das estatísticas do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do MT).

Esse é o terceiro ano de queda no número de empregos formais no país. O resultado de 2017, porém, é melhor do que o apurado em anos anteriores. Em 2016, foram fechados 1,3 milhão de vagas no país e, em 2015, 1,5 milhão. No universo de pesquisa do CAGED podemos dizer que o número de vagas fechadas em 2017 (20,8 mil) é próximo da estabilidade de vagas de emprego.

O setor que mais criou empregos em 2017 foi o Comércio, com saldo positivo de 40.087, seguido pela Agropecuária (37.004) e Serviços (36.945). Já os setores da Construção Civil e da Indústria da Transformação registraram os maiores saldos negativos com 103.968 postos e 19.900, respectivamente.

Esse resultado está longe de ser uma boa notícia. Hoje temos que gerar empregos para conseguir suportar o número de empregados que anualmente se inserem no mercado; como é o caso, por exemplo, dos jovens do primeiro emprego. Além de combater o desemprego que deixou mais de 3 milhões de pessoas desempregadas nos últimos três anos. Lembrando sempre que temos um contingente acumulado de mais de 12 milhões de desempregados.

Temos muito trabalho pela frente. O Brasil precisa avançar!

Fábio Guimarães é economista, formado pela UFRRJ com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-RJ. Palestrante, consultor e debatedor, atuou por mais de 10 anos como gestor nas áreas de trabalho e renda e desenvolvimento econômico.