A tecnologia entre Bebiannos e Marighellas

Como sobreviver e viver com o avanço civilizatório de um mundo sem intermediários?

Fábio Guimarães - 19/02/2019 11h42


Amigo leitor do Pleno.News, entre Bebiannos e Marighellas, o mundo avança, independente da nossa vontade. Vamos falar de tecnologia na coluna de hoje.

Você deve estar se perguntando: O que Bebiannos e Marighellas têm haver com tecnologia? Honestamente, nada. Mas, o Brasil anda tão dividido, tão longe do equilibro, tão distante do bom senso que confesso, até meio sem graça, que usei estes benditos nomes próprios no título só para “pescar” você leitor até aqui e, assim, dizer: continue, venha conosco por mais alguns parágrafos para falarmos um pouquinho sobre como a tecnologia está mudando o nosso dia a dia.

O desenvolvimento tecnológico traz consigo uma nova realidade. Ele desnuda uma nova forma de viver, sem intermediários, em todas as esferas da nossa vida. Uma verdadeira revolução silenciosa que modifica de forma sorrateira o nosso dia a dia.

Muitos ainda não se deram conta, porém outros, de forma arcaica, começam a modificar alguns hábitos arraigados e assim estão experimentando os primeiros passos deste mundo horizontal que floresce cada vez mais nítido em nosso horizonte. Em pouco tempo, todos nós estaremos adaptados ao uso da tecnologia nas tarefas diárias. É o desenvolvimento da civilização, movimento inexorável ao ser humano.

A comunicação, por exemplo, é horizontal. Os indivíduos buscam, cada vez mais, informações entre seus pares, diminuindo o valor que dão às mídias verticais tradicionais como a TV e os jornais. Esta já é uma realidade.

Muitos produtos e serviços estão sendo modificados por aplicativos que eliminam distâncias, unificam informações e “quebram”, literalmente, corporações monopolistas que, durante anos, sujeitaram indivíduos a produtos e serviços com qualidade no mínimo duvidosa, por preços nada convidativos. Os setores de transportes, alimentação, vestuário, cosméticos, dentre outros, já experimentam uma nova forma de interagir com seus consumidores.

Estudiosos da chamada TIC – Tecnologia da Informação e Comunicação, apontam três vetores que vão modificar nossa vida.

São eles: a tendência mundial de barateamento do custo da energia, aliado ao processo de informação plena nas redes, e a disseminação tecnológica que trará sobre nós a possibilidade de sermos “prosumidores”.

Prosumidor é um conceito que enxerga os indivíduos, que hoje são apenas consumidores, como seres que, no futuro, serão, ao mesmo tempo, consumidores e produtores de produtos e serviços. Esse conceito defende que muitos de nós usará a robótica, a nanotecnologia, a impressão 3D, a computação na “nuvem” e a inteligência artificial para criamos produtos que demandamos de forma única.

Amigos leitores do Pleno.News, sei que para muitos de nós isso parece ser uma realidade distante. Eu entendo, mas acredite! Seus filhos não pensarão desta forma.

Vamos em frente!

Fábio Guimarães é economista, formado pela UFRRJ com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-RJ. Palestrante, consultor e debatedor, atuou por mais de 10 anos como gestor nas áreas de trabalho e renda e desenvolvimento econômico.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo