Raízes familiares. O que são?

Identificar suas raízes familiares é procurar ir além do que foi estabelecido por ela

Ellen Sarmento - 20/10/2017 09h17

A família ao fornecer um sobrenome, um sangue em comum, confere identidade aos seus integrantes Foto: Pixabay

Quero na coluna de hoje compartilhar sobre raízes familiares. O que são?

Raízes familiares são os processos que identificamos em nossa história e são reproduções do que aprendemos em família. Quanto mais cedo identificarmos nossas raízes familiares, melhor poderemos distinguir se segui-las é salutar, ou poderemos tentar agir de modo diferente no que não for saudável para nossa vida emocional e psicológica.

Outro aspecto importante é que a família ao fornecer um sobrenome, um sangue em comum, uma história específica, um parentesco, confere identidade aos seus integrantes lhes dando a impressão de igualdade. Assim, cada um sai do útero familiar à procura – em graus variados e de acordo com a história de desenvolvimento que vivenciou com seus irmãos, pais, avós, bisavós, tios, empregados – dessa igualdade. Essa meta a ser perseguida nunca será alcançada, porque identidade familiar não significa uniformidade. Isso é fato não apenas no aspecto dos pais terem suas origens em famílias diferentes, mas também porque os filhos nasceram em momentos distintos da família. Com variáveis, se é o mais velho, o segundo, o terceiro ou o caçula; se é homem ou mulher, e também das identificações e alianças que se estabeleceram entre esses pais e filhos.

Sabemos que a capacidade criativa do ser humano é ilimitada. E que vir a se identificar com suas raízes é procurar ultrapassar os limites da família para se tornar diferente do estabelecido por ela.

 


Ellen Sarmento é psicóloga clínica e palestrante, com formação em terapia sistêmica familiar pela Núcleo Pesquisas. Especializada em atendimento familiar e de casal. Capacitada pelo Ackerman Institute, em Nova York, e pelo Instituto Bowen, em Washington.