Os 5 efeitos lesivos dos relacionamentos abusivos

Todo relacionamento gera consequências, por isso é preciso lembrar que relacionamentos abusivos podem ser devastadores

Ellen Sarmento - 24/08/2018 12h05

Queridos leitores do Pleno.News, quero continuar a série que comecei semana passada sobre relacionamentos abusivos. E hoje, quero pontuar como esses relacionamentos e seus efeitos se manifestam. Lembrando sempre que meu desejo é que essas informações venham a ser multiplicadas e alcancem o maior número de pessoas possível.

Partindo do princípio de que todo relacionamento gera consequências, em nossa vida, é preciso lembrar que relacionamentos abusivos trazem efeitos lesivos.

Vamos discorrer quais são esses cinco principais efeitos:

1. Dificuldade de abrir mão do outro por causa de carência.
Quando temos o caso de uma pessoa carente, ela pode vir a acreditar que ganhou na loteria por encontrar uma pessoa que queira ficar com ela. É comum que a pessoa carente se sinta grata, e muitas vezes enxergue de forma distorcida os abusos que sofre como uma forma de demonstração de extremo cuidado e afeto.

2. Baixa autoestima.
Em caso de uma pessoa com baixa autoestima, ela, na maioria das vezes, considera os desejos do outro muito mais importantes que os seus. Ainda que o desejo do outro seja mantê-la ao lado para continuar tratando mal, ou agredindo.

3. Comodidade.
É quando a pessoa mesmo não “aceitando” de forma adequada o que se passa dentro de sua casa, não quer fazer o esforço necessário para mudar o que está vivenciando; pois uma mudança seria algo grande demais. Seria preciso ela se impor, delimitar limites e, caso o outro não respeitasse, ela teria de tomar atitudes firmes, ou até radicais.

Por todo esse movimento demandar muita energia, ela se acomoda e continua sendo agredida.

4. Síndrome de culpa.
Essa síndrome de de culpa é reforçada a todo momento pelo perpetuador do abuso. Ela gera na pessoa abusada a sensação de que tudo o que faz ou tem, deve ser somente para o outro. E, caso não o faça, é culpada e terá que carregar esse fardo. Muitas vezes, essa síndrome gera ainda punição física e psíquica.

5. Isolamento social.
Esse é o efeito mais lesivo de todos, pois a pessoa entra num profundo isolamento, e quando sai desse relacionamento suas conexões deixaram de existir. Ela precisará não sóser reintegrada emocionalmente, mas socialmente também.

Desejo que possamos multiplicar e orientar pessoas, porque relacionamentos precisam ter limites saudáveis. E mais, os bons relacionamentos sempre somam para nosso crescimento pessoal e interpessoal gerando uma melhor versão de nós mesmos!!!

Ellen Sarmento é psicóloga clínica e palestrante, com formação em terapia sistêmica familiar pela Núcleo Pesquisas. Especializada em atendimento familiar e de casal. Capacitada pelo Ackerman Institute, em Nova York, e pelo Instituto Bowen, em Washington.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo