O verdadeiro amor nos faz livres!

No verdadeiro amor nossas fraquezas são compensadas e nosso melhor floresce

Ellen Sarmento - 15/12/2017 08h00

Na força do amor uma pessoa não se submete a outra porque é fraca; ela se submete porque encontrou aquele lugar seguro onde pode confiar seus sonhos Foto: Pixabay

Queridos leitores, compartilharei com vocês, na coluna de hoje, uma reflexão sobre o real poder do amor.

Atualmente, uma das formas mais comuns de vermos o amor ser mostrado é através de filmes. Pois estes se tornaram uma linguagem comum a todos, e as histórias de amor se tornaram um dos temas favoritos do Cinema. Na verdade, o Cinema é, possivelmente, o único meio com poder para promover o amor neste mundo desgastado e, também, despertar sentimentos entorpecidos por anos de decepção e excesso de estímulo.

Sob a influência de um filme, o coração humano pode temporariamente ser cativado e transportado para uma dimensão além do alcance e do impacto do mundo exterior. Os filmes têm o poder de se comunicar de forma direta com a mente, na linguagem fluente do coração.

Quando assistimos a um filme, nos transportamos para outra realidade e nos deparamos com a beleza tão grande que existe na força do amor. Na força do amor nossas fraquezas são compensadas e nosso melhor floresce. Na força do amor uma pessoa não se submete a outra porque é fraca; ela se submete porque encontrou aquele lugar seguro onde pode confiar seus sonhos, também pode emprestar suas forças e ver protegida toda a sua vulnerabilidade.

Agora, tudo que possui valor, nessa nossa existência, carrega algum tipo de risco. Há a maldição do fracasso, que muitas vezes nos assombra, também existe a iminente ameaça de virmos a perder o controle de nós mesmos. E, por quê? Porque o verdadeiro amor nunca falha.

Portanto, quando nos depararmos com o amor, devemos protegê-lo a todo custo. Pois o amor deveria ser a força motriz por detrás de tudo que realizamos e a maneira como nos relacionamos conosco e com os que nos cercam.

Se queremos mais do que sobreviver em nossos relacionamentos, devemos permitir que nossas emoções permaneçam abertas ao poder transformador do amor.

Ellen Sarmento é psicóloga clínica e palestrante, com formação em terapia sistêmica familiar pela Núcleo Pesquisas. Especializada em atendimento familiar e de casal. Capacitada pelo Ackerman Institute, em Nova York, e pelo Instituto Bowen, em Washington.