Opinião Ellen Sarmento: Fronteira emocional

Quando a fronteira emocional não está delimitada, acontece o grude emocional, onde as pessoas se tornam necessitadas umas das outras e sofrem

Ellen Sarmento - 16/02/2018 10h15

Querido leitor do Pleno.News, semana passada iniciei uma série denominada Fronteiras Familiares. Hoje quero aprofundar o assunto, pois acredito que somente será possível tomarmos trajetórias mais saudáveis emocionalmente se reconhecermos de onde viemos.

E o que é fronteira emocional?

A fronteira emocional se define como um distanciamento emocional e uso da racionalidade nas relações familiares, sem negar a presença dos sentimentos envolvidos. A percepção de como cada um afeta e é afetado pelo outro dentro da família. A compreensão das diferentes marcas afetivas que existem em cada um, como produtos de nossa própria história, que criam diferentes lentes de ver e perceber as relações.

Outro aspecto importante, quando não há as fronteiras delimitadas, é o “grude emocional”. Este é um fenômeno em que o relacionamento se confunde com amor e dependência emocional. Existindo a predominância do precisar, do ajudar e principalmente do omitir-se.

Quando ocorre o estabelecimento desse papel e a cristalização das relações é sempre o mesmo que precisa, o mesmo que ajuda e o mesmo que se omite.

Desejo que estas informações compartilhadas possam ser multiplicadas e que a cada dia possamos estabelecer nossas fronteiras e nos desenvolvermos bem com saúde psíquica e emocional.

Ellen Sarmento é psicóloga clínica e palestrante, com formação em terapia sistêmica familiar pela Núcleo Pesquisas. Especializada em atendimento familiar e de casal. Capacitada pelo Ackerman Institute, em Nova York, e pelo Instituto Bowen, em Washington.