A família e seus ciclos

O ciclo da família se origina com o nascimento do primeiro filho indo até a morte do casal que originou essa família

Ellen Sarmento - 27/10/2017 09h30

É a nossa matriz familiar que determinará como e de que maneira vamos finalizar a nossa jornada Foto: Pixabay

Quero falar, na coluna de hoje, sobre a importância das etapas, dos ciclos, pelos quais todas as famílias atravessam.

A família, com seus componentes e integrantes, desenvolve-se dentro de um ciclo natural. Podemos chamá-lo de ciclo vital familiar, que se origina com o nascimento dessa família – quando nasce o primeiro filho – até a morte do casal que proporcionou o surgimento da mesma.

De forma natural, com o crescimento e desenvolvimento dos filhos, ocorre de forma paralela e progressiva um envelhecimento dos progenitores. Estes serão cuidados, em algum momento, pelos filhos; que se transformam em pais dos pais e saíram do lugar de protetores para o lugar de protegidos.

Sendo assim, o movimento que ocorre é um movimento circular, de ciclos, de etapas, no qual caminhamos e voltamos às nossas raízes culturais, religiosas, raciais e experienciais.

Então, apesar de atravessarmos uma sequência de vivências no decorrer da nossa vida, é a nossa matriz familiar – o resultado do que foi marcado a ferro e fogo em nosso corpo/mente durante a nossa infância e adolescência – que determinará como e de que maneira vamos finalizar a nossa jornada.

Meu desejo é que possamos nos apossar de nossas marcas e as usarmos como um trampolim, para que nossa trajetória venha a ser repleta de superações e de um grande florescimento.

Ellen Sarmento é psicóloga clínica e palestrante, com formação em terapia sistêmica familiar pela Núcleo Pesquisas. Especializada em atendimento familiar e de casal. Capacitada pelo Ackerman Institute, em Nova York, e pelo Instituto Bowen, em Washington.