3 aspectos para uma maternidade positiva

O relacionamento entre mães e filhos é desafiador, mas pode ser muito gratificante e delinear uma vida de sucesso

Ellen Sarmento - 03/08/2018 09h43

Caros leitores do Pleno.News, trago hoje um tema de grande relevância para mamães de primeira viagem, assim como mamães de longa data. Vamos descobrir juntas quais são esses três aspectos para desenvolver uma maternidade positiva.

1. A MÃE QUE ENCORAJA
O amor exercido através da maternidade é a influência mais poderosa e positiva no desenvolvimento e na vida de um filho. Nunca permita que lhe convençam de que você MÃE é irrelevante na vida do seu filho ou de que precisa romper seu elo afetivo com ele antes da hora.

Existem muitos motivos pelos quais um filho necessita de sua mãe. Nos primeiros anos, é ela quem dá suporte e segurança, quem ama e nutre de ternura, amor e carinho, que são vitais para a segurança emocional dele e até para o desenvolvimento de relacionamentos duradouros no futuro.

Compreender e encorajar o filho é o incio de uma influência positiva na vida dele. O desejo de uma mãe de entender seu filho pode dar-lhe o poder de influenciar a vida dele para sempre, influenciando assim a família dele e todas as gerações seguintes.

2. A MÃE QUE SUPERA SEUS MEDOS
Muitas vezes nossos corações se enchem de medo, com uma mãe não é diferente. O medo interfere no objetivo de uma mãe ajudar o filho a se desenvolver naquilo que ele mais necessita: autoconfiança e competência.

Como mães nutrimos e conduzimos o caminho a ser trilhado pelos filhos, mas muitas vezes o amor no mais grande estilo “galinha com seus pintinhos”, que parece vir junto com a maternidade,é recheado de emoções poderosas, como medo e preocupação. Por isso, é fundamental termos bom senso e cautela, pois quando vem a ansiedade, o carinho pelo filho pode se tornar sufocante. E para que isso não ocorra com frequência é necessário medir o controle e o medo exercidos, pois esses estão diretamente ligados.

Quando um filho é controlado por uma mãe medrosa e dominadora, isso pode levá-lo à depressão.

3. A MÃE QUE OUVE E SE COMUNICA
Temo que um dos papéis mais importantes de uma mãe seja ajudar seu filho aprender a se comunicar e a se expressar. Podemos ser mentoras e guias nessa área, mas aprender a ouvir o filho é um ponto fundamental nessa relação.

Aí vão algumas dicas para melhorar essa escuta:

  • Quando seu filho estiver falando, deixe seu smartphone de lado, olhe para ele e preste atenção em suas palavras, expressões faciais e linguagem corporal.
  • Quando seu filho estiver descrevendo um problema ou conflito, reflita e dê uma palavra de sabedoria, assim você pode descobrir uma boa forma de responder quando chegar o momento.

É importante a forma como você se comunica com seu filho, ela é determinante para o desenvolvimento e o bem-estar emocional dele. Pois existe uma profunda ligação entre as palavras que você fala e o comportamento e atitudes do seu filho. A forma como nos comunicamos através da fala, afeta as percepções, interpretações, crenças e valores e a postura frente à vida dos filhos, influenciando as ações deles assim como as consequências dessas ações.

Desejo que esse conhecimento venha a ser multiplicado, queridos leitores!!!

Ellen Sarmento é psicóloga clínica e palestrante, com formação em terapia sistêmica familiar pela Núcleo Pesquisas. Especializada em atendimento familiar e de casal. Capacitada pelo Ackerman Institute, em Nova York, e pelo Instituto Bowen, em Washington.