Coluna Elaine Cruz: Tenha uma boa-noite!

Depois de uma dia exaustivo, estamos conseguindo reservar tempo para conversar com a família, jantar com os filhos, debater os problemas conjugais, educar e ver a lição de casa das crianças?

Elaine Cruz - 11/01/2018 12h00

Um seriado antigo, das décadas de 70 e 80, chamada Os Waltons (The Waltons), abordava a vida de uma família nas montanhas da Virgínia nos anos 30, época da Grande Depressão. A história da família é contada sob o ponto de vista de John Boy, o filho mais velho de sete irmãos, que aspira se tornar jornalista e novelista. John Walton e seu pai trabalham numa serraria, ajudados pelos filhos, que se esforçam para viver decentemente durante as crises advindas da Grande Depressão e da Segunda Guerra Mundial.

Há uma famosa cena que aparece no final de todos os episódios, a casa da família é mostrada à noite, com as luzes apagadas, menos uma janela no andar superior. Ouve-se brevemente as vozes de dois ou mais personagens, comentando na maioria das vezes de forma bem-humorada os fatos narrados no episódio. E, então, todos eles dão “boa noite”, apagando-se as luzes e encerrando o programa.

Isto me faz pensar em como estamos encerrando nosso dia. Depois de uma dia exaustivo, estamos conseguindo reservar tempo para conversar com a família, jantar com os filhos, debater os problemas conjugais, educar e ver a lição de casa das crianças? Conseguimos desligar computadores, celulares e televisão para ter interação no mundo real com pessoas reais que habitam nossa casa? Estamos organizando nosso tempo de modo a fazer mais sexo com nosso cônjuge, fazendo juntos o orçamento doméstico ou nos abrindo sobre nossos medos e inquietações? Seus filhos conseguem se abrir com você, ou estão recebendo conselhos de sites ou amigos virtuais?

Então sugiro que faça visitas aos quartos dos seus filhos para ouvi-los ou ler histórias todas as noites. Realize cultos domésticos e orem juntos como uma família. Diga mais “eu te amo”, “tudo vai ficar bem”, “conte comigo”, “estou do seu lado”, “você errou mais vamos acertar”, “vou orar sobre isso”.

Lembre-se que uma noite só será boa quando conseguirmos nos esvaziar de nossos medos e agitações antes de dormir, portanto ouça, converse, abrace e diga boa noite antes de dormir a quem você ama: “Boa noite, Mary Ellen!”, “Boa noite, John boy…”

Elaine Cruz é pastora no Ministério Fronteira, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro; Psicóloga clínica e escolar, especializada em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade; Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense; palestrante e conferencista internacional, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior; Mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA); e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, com oito livros publicados.