Leia também:
X Respostas àqueles que não gostam do Natal

Presente de Natal

A verdade é que celebrar o Natal é celebrar a vinda de Deus ao mundo

Elaine Cruz - 19/12/2019 10h55

Eu fui criada em uma casa simples, por um casal atuante na igreja, e que levava uma vida modesta. Só ganhava presentes especiais no meu aniversário, que é no dia seguinte ao Dia das Crianças, e no Natal, onde a empresa em que meu pai trabalhava fazia uma festa e nos presenteava.

Na minha casa não havia o hábito da ceia de natal no dia 24 de dezembro. Como a minha mãe sempre organizava as festas e peças de natal da igreja, nossa casa ficava cheia de pessoas confeccionando coroas, vestimentas e adornos para o tão esperado culto de Natal do dia 25 a noite. Era uma época festiva, de casa cheia e de muita cantoria – não porque os presentes eram caros e modernos, mas pela alegria dos ensaios e preparativos para celebrar o verdadeiro natal de Jesus.

Quando conheci meu marido, vindo de uma família portuguesa tradicional, é que percebi a importância que os outros atribuíam à ceia natalina. Quando nos casamos, incorporamos a ceia de natal em nossa família, sempre antecedida por um culto, com muitos louvores e leitura bíblica. Juntamos a tradição à celebração da encarnação do nosso salvador. E meus filhos desde cedo aprenderam que Jesus não nasceu em 25 de dezembro, mas que, por tradição, é nesta data celebramos seu nascimento.

A verdade é que celebrar o Natal é celebrar a vinda de Deus ao mundo, corporalmente, iniciando a obra redentora do calvário, que foi concretizada na cruz e concluída na ressurreição. Afinal, a história do Natal, que vai da manjedoura à cruz, precisa ser contada de forma correta a nossos filhos e netos. Se não fizermos isso, nossos filhos e netos vão assimilar o ensino mundano, associando o Natal a presentes e ao chamado papai Noel.

Podemos presentear no Natal. Mas é importante recontar a história bíblica, ressaltando que Jesus… embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai. Filipenses 2:6-11

O nascimento de Jesus como homem é o que comemoramos no Natal. Ninguém poderia pagar o preço pelos nossos pecados. Portanto, seu nascimento, sua morte e sua ressurreição são nossos maiores presentes. Sim, o natal é Dele, mas nós é que ganhamos o presente, a graça, a dádiva da salvação, quando reconhecemos seu ato redentor por nós.

Jesus será sempre nosso maior e melhor presente de Natal!

Elaine Cruz é pastora no Ministério Fronteira, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro; Psicóloga clínica e escolar, especializada em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade; Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense; palestrante e conferencista internacional, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior; Mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA); e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, com oito livros publicados.
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.