Opinião Elaine Cruz: Fragilidade da vida

A vida é frágil, assim como as pessoas, os afetos, os sonhos, as escolhas, a saúde, as amizades, os amores humanos, os projetos de vida

Elaine Cruz - 08/03/2018 08h15

É sempre emocionante pegar um recém-nascido nos braços. O corpo pequeno, delicado e frágil me faz refletir no poder deste Deus criador e detalhista, que comanda e coordena tudo com tanta delicadeza e precisão. Mas segurar um bebê também me faz analisar o quanto somos frágeis e indefesos.

Crescemos, nos tornamos adolescentes e jovens, e mesmo nessas fases de primavera e tão cheias de perspectivas, muitos são os que adoecem, se tornam adictos, abraçam filosofias cada vez mais irracionais como, viva muita e morra rápido, e são levados pela frivolidade de vícios e amigos, mostrando qual frágil pode ser a linha tênue entre nossas escolhas.

A vida adulta nos enche de responsabilidades, cobranças e estresse, e passamos anos nos “pré ocupando” de tarefas repetitivas. São muitos os que sucumbem à fragilidade dos relacionamentos e sentimentos, que somatizam emoções negativas, e que adoecem precocemente o corpo e a alma.

Na velhice, quando nossos órgãos também se enfraquecem e voltam a ser delicados, necessitando de cuidados e exames criteriosos e constantes, voltamos a pensar na fragilidade do tempo que passa tão rápido, e vai levando pessoas que amamos, deixando lembranças que aquecem um coração que já bate mais devagar e fragilizado.

A vida é frágil, assim como as pessoas, os afetos, os sonhos, as escolhas, a saúde, as amizades, os amores humanos, os projetos de vida. E é por este motivo que devemos nos lembrar constantemente que quem nos criou é o mesmo que nos conhece, a ponto de poder manter nossa racionalidade e sobriedade ao longo desta delicada vida terrena, enquanto nos preparamos para a vida eterna. Deus é o único que, de fato, pode nos ajudar a manter a paz e contentamento em meio a tanta fragilidade:

Sim, lembre-se dele, antes que se rompa o cordão de prata, ou se quebre a taça de ouro; antes que o cântaro se despedace junto à fonte, a roda se quebre junto ao poço, o pó volte à terra, de onde veio, e o espírito volte a Deus, que o deu (Eclesiastes 12:6,7).
Elaine Cruz é pastora no Ministério Fronteira, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro; Psicóloga clínica e escolar, especializada em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade; Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense; palestrante e conferencista internacional, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior; Mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA); e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, com oito livros publicados.