Opinião Elaine Cruz: Depressão

A depressão é uma doença. Quando ela ocorre, a dor emocional é imensa, o sofrimento é crônico, e a necessidade de terapia e medicamentos é vital

Elaine Cruz - 01/03/2018 08h15

Nós gostamos de aumentar o significado das coisas. Quando gostamos de uma refeição dizemos ter adorado o prato, quando estamos cansados dizemos estar morrendo de cansaço, e usamos expressões com “nunca mais”, “nunca vi”, “sempre fiz”, “morrer de rir”. Nossa tendência é exagerar dores, sintomas e sentimentos, de modo a pintar a vida com tons mais fortes.

As questões se complicam quando tratamos de questões que envolvem as chamadas doenças psíquicas. Há muita gente hoje que se diz surtada, depressiva, em pânico, uma pilha de ansiedade, mas que na realidade, mais uma vez, está superestimando uma questão que é séria.

A depressão é uma doença, que pode ter implicações bioquímicas profundas, pode ser de ordem genética complexa, ou ser fruto de vivências dolorosas e incapacitantes do ponto de vista emocional. Quando ela ocorre, a dor emocional é imensa, o sofrimento é crônico, e a necessidade de terapia e medicamentos é vital. O diagnóstico da depressão é feito por médicos, sendo que o paciente deve ser acompanhado de psicólogos e ter o suporte familiar necessário.

Infelizmente, há aqueles que se definem “deprê”, que se dizem depressivos, quando na verdade estão tristes, magoados, chateados, irritados. Não consideram o fato de que estão se utilizando de um termo sério, e muitas vezes complicando a compreensão e o tratamento daqueles que de fato estão ou são doentes.

Pra quem de fato sofre de depressão, nada é mais difícil do que ouvir “daqui a pouco passa”, “para de fazer manha”, “eu também estava ‘deprê’ ontem”. Isto faz com que muitos deixem de buscar ajuda, ou abandonem seus tratamentos porque ouvem que basta um esforço pessoal para abandonarem sua angústia ou pensamentos de morte.

Todos nós podemos vivenciar momentos de tristeza, irritação ou dor emocional, e quando isto ocorre sabemos identificar nossos porquês e esperar o tempo de sorrir novamente. Mas vamos olhar com mais cuidado e atenção para aqueles que amamos e que precisam, a partir de um diagnóstico, de nosso apoio e compreensão para se tratarem e se curarem da depressão. A boa notícia é que estes, quando levados a sério, também podem voltar a sorrir.

Elaine Cruz é pastora no Ministério Fronteira, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro; Psicóloga clínica e escolar, especializada em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade; Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense; palestrante e conferencista internacional, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior; Mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA); e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, com oito livros publicados.