Opinião Elaine Cruz: Como o sol que volta a nascer

Podemos ter vários dias chuvosos e nublados, mas sabemos que o sol está por trás das nuvens, mesmo não conseguindo vê-lo

Elaine Cruz - 12/04/2018 09h33

Nosso mundo é muito incerto, e nisso o Brasil ainda mais: como serão as próximas eleições? Qual a próxima grande cartada do judiciário? Como irão terminar as investigações em curso? Será que teremos a alegria de ver a inflação descer e a taxa de desemprego cair? Que Brasil esperar para os filhos e netos que virão?

O verão tão esperado por muitos (eu sempre prefiro a amenidade do outono!), este ano foi fresco. Como será nosso inverno? Colheremos flores na primavera?

Em meio a uma atmosfera tão incerta, com verdades sendo alteradas e valores distorcidos constantemente, muitas pessoas começam a questionar a si mesmas, suas certezas, e os afetos e atitudes dos outros com quem convivem. O clima é de desconfiança, descrédito, incredulidade. E isto gera insegurança, medos, anseios, ansiedades, angústias e frustrações.

É por esta razão que precisamos saber quem somos. Necessitamos buscar as bases da boa educação que recebemos, guardar os valores e conceitos que sabemos ser os certos. Não podemos abrir mão de convicções em que acreditamos, como a importância da família, a necessidade da fé em Deus, o exercício da maternidade e paternidade, a construção de poucas e fortes amizades, por exemplo. No meio deste caos que vivemos, ter bases sólidas em que acreditar pode ser nossa tábua de salvação.

Podemos ter vários dias chuvosos e nublados, mas sabemos que o sol está por trás das nuvens, mesmo não conseguindo vê-lo. Assim como podemos passar momentos complicados em casamentos ou com os filhos, mas se nosso afeto e cuidado foram constantes e sérios, haveremos de voltar a sorrir. E o mesmo acontece conosco: podemos ter dias tristes, nos machucarmos com pessoas, mas perdão e recomeços sempre serão uma possibilidade.

E o que não falar de Deus? Ele não falha, não muda, sempre ama e perdoa, cuidando constantemente de nós. Quando todos fracassam, Ele sempre vence. Quando muitos abandonam, Ele abraça e consola. Nossas dores e problemas podem nos cegar, como se fosse possível Ele também não enxergar nossa dor e aflição. Mas Ele permanece sendo Deus, amigo e fiel, bondoso e misericordioso, tão certo como o sol que volta a nascer.

Elaine Cruz é pastora no Ministério Fronteira, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro; Psicóloga clínica e escolar, especializada em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade; Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense; palestrante e conferencista internacional, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior; Mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA); e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, com oito livros publicados.