A Celebração do Natal

Podemos presentear no Natal, mas é importante recontar a história bíblica

Elaine Cruz - 20/12/2018 10h15

Jesus não nasceu em 25 de dezembro, mas convencionou-se celebrar seu nascimento nesta data e o Natal deve ser celebrado. É importante que aproveitemos esta data para falar aos nossos amigos e familiares sobre o Deus que se fez carne:

No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. Ele estava com Deus no princípio. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens… Aquele que é a Palavra estava no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam. Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram por descendência natural, nem pela vontade da carne nem pela vontade de algum homem, mas nasceram de Deus. Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade. (João 1:1-4; 10-14).

Celebrar o Natal é celebrar a vinda de Deus ao mundo, corporalmente, iniciando a obra redentora do calvário, que foi concretizada na cruz e concluída na ressurreição. Afinal, a história do Natal, que vai da manjedoura à cruz, precisa ser contada de forma correta a nossos filhos e netos.

Nossos filhos e netos não devem associar o Natal a presentes e ao chamado papai Noel. A inversão de valores quanto à prioridade das festas natalinas faz com que muitos jantares terminem em discussões e em brigas entre familiares. As pessoas se endividam para comprar presentes caros para os parentes, e servem banquetes que lhes custam o salário do mês!

Podemos presentear no Natal. Mas é importante recontar a história bíblica, ressaltando que Jesus, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai. (Filipenses 2:6-11).

Jesus será sempre nosso maior e melhor presente de Natal!

Elaine Cruz é pastora no Ministério Fronteira, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro; Psicóloga clínica e escolar, especializada em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade; Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense; palestrante e conferencista internacional, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior; Mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA); e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, com oito livros publicados.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Envie sugestões por WhatsApp
+55 (21) 97150-9158