A arte de conviver

Todos temos expectativas como conciliar as nossas com as dos outros que nos cercam?

Elaine Cruz - 31/05/2018 09h37

É muito difícil conciliar a nossa vida com as dos outros com quem lidamos, seja no espaço profissional ou pessoal.

Todos temos expectativas quanto ao futuro, projetos profissionais, planos para a família ou vida sentimental, e anseios vários, como viajar ou crescer na carreira. É licito que, dentro do que é legítimo e correto, persigamos nossos alvos e metas. Passamos muitos anos de nossa vida planejando a própria vida, e é muito bom quando conseguimos vislumbrar e vivenciar a tão esperada viagem ou conquista profissional.

Se já é difícil organizar a própria vida, o que não dizer dos pais que precisam acertar as diferentes agendas dos filhos? Cursos de inglês, aulas de música, escolinha de futebol, horários alternados de colégios? Como montar em casa uma engrenagem que permita aos pais terem vida conjugal e parental?

Na esfera profissional fazemos o mesmo. Precisamos ajustar as diferentes requisições de chefes, administrar egos de gerentes e subalternos, e ajustar nossos horários aos dos clientes e dos pacientes. Muito do estresse profissional reside em atritos pessoais e corporativos.

A sociedade reflete esses conflitos. Reivindicações legítimas de uma categoria de trabalhadores faz com que fiquemos presos em nossos lares, quer pela falta de combustível ou de segurança. Ações políticas afetam nosso bolso, ações governamentais podem complicar nossa saúde, atos de pessoas com quem convivemos socialmente podem ferir nossos sentimentos.

Se nossos direitos terminam onde começam os direitos dos outros, nossos deveres devem prosseguir mesmo quando os outros falham em seus deveres conosco. Assim, decidimos pelo justo numa sociedade injusta, e permanecemos corretos mesmo quando cercados por desonestidade. Mantemos nossa integridade e lutamos diariamente para alcançar objetivos, ao mesmo tempo em que respeitamos e, se possível, apoiamos e ajudamos o outro em suas metas particulares. Afinal, conviver é a maior arte!

Elaine Cruz é pastora no Ministério Fronteira, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro; Psicóloga clínica e escolar, especializada em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade; Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense; palestrante e conferencista internacional, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior; Mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA); e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, com oito livros publicados.