Quero trabalhar com fotografia

Em um mercado cada vez mais focado em imagem, como lidar com a possibilidade de uma nova atuação profissional

Como Lidar - 16/05/2019 15h20

Foto: Arquivo pessoal

“Quero começar a trabalhar com fotografia, mas não sei por onde começar ou como atrair clientes. Também tenho medo de largar minha atual profissão e não ter sucesso com a fotografia. Como lidar com esta dúvida?”

Larissa Castro, Vacaria, Rio Grande do Sul

RESPOSTA: Seu problema talvez seja um drama comum pelo qual todo empreendedor já passou: como largar a estabilidade do seu emprego e apostar no trabalho dos seus sonhos com um futuro incerto? A verdade é que não existe uma resposta pronta, mas alguns caminhos podem te ajudar nesse processo.

Para iniciar na fotografia você precisa, obviamente, comprar uma câmera fotográfica. Não é necessário investir logo de cara na máquina mais cara do mercado. Inicialmente, uma câmera profissional com sensor cropado já irá te atender. Depois existem os investimentos com lente, flash, bateria e cartão de memória. Além disso, é muito importante fazer um seguro do equipamento.

Certa vez, Henri Carties-Bresson afirmou que “suas primeiras 10 mil fotografias são as piores”. E a frase não poderia estar mais correta. Por isso, para chegar minimamente em um nível comercial você precisa praticar e muito. Fotografe tudo ao seu redor, sejam pessoas, objetos ou paisagens. O importante é você ter domínio cirúrgico sobre seu equipamento. Treine também o seu olhar fotográfico e a sua percepção da luz.

No entanto, para todo trabalho prático é fundamental um embasamento teórico. Por essa razão, faça cursos ou um workshop que seja com um especialista na área da fotografia na qual você pretende trabalhar. Os livros de fotografia, negócios e marketing (Sim, negócios e marketing são essenciais para viver de fotografia) vão te ajudar nesse processo, assim como a infinitude de vídeos no youtube com dicas e técnicas que você pode encontrar a custo zero.

A terceira etapa é justamente pensar em qual área da fotografia você gosta e investir nela. Sei bem que, no início, a tendência é aceitarmos todos os trabalhos que aparecem. Mas o quanto antes o público perceber que você é especialista em determinado segmento, mais atenção e valor você terá das pessoas e dos futuros clientes.

Para os clientes te contratarem primeiro eles precisam chegar até você. Por isso, te pergunto, você já contou para todo mundo que é fotógrafa? Você se apresenta como fotógrafa? Se uma pessoa entra nas suas redes sociais, ela te identifica como fotógrafa? É muito importante que todos ao seu redor percebam que você é uma profissional no seu segmento. Dessa maneira, seus perfis necessitam estar alinhados com a imagem de uma profissional de fotografia. Seus Insta, Stories, devem falar sobre o seu dia-a-dia na fotografia ou a sua trajetória para se tornar uma profissional. Além disso, é fundamental alimentar essas redes com imagens de qualidade todos os dias.

Outro fator importante é a criação de um site. Você sabia que todo cliente que pretende contratar um serviço fotográfico costuma pesquisar o nome da pessoa ou da empresa pela internet? O seu site próprio é que vai te dar credibilidade e segurança para o cliente fechar um negócio. Posteriormente, existem os investimentos com publicidade, produção de conteúdo e outras estratégias de marketing que são assuntos mais elaborados que não abordarei neste momento.

Vale destacar que você deve considerar a fotografia como um negócio como qualquer outro que demanda tempo, disciplina e muito esforço. Fotografar corresponde a cerca de 20% do seu trabalho. O restante será preenchido com edição, atendimento ao cliente, prospecção de vendas e marketing. Para quem achava que fotografar seria viver de arte, isso é um banho de água fria. Mas não desanime porque esse trabalho é extremamente recompensador.

Para finalizar, devo dizer que 95% dos fotógrafos um dia tiveram uma dupla jornada de trabalho. Por isso, não recomendo você largar imediatamente o seu emprego fixo. Inclusive, é através dele que você pode juntar dinheiro necessário para os primeiros equipamentos. No seu tempo tempo livre, procure estudar, fotografar e montar os pilares da sua empresa. Com o tempo, os clientes surgirão e terá um momento em que você pensará se vale a pena continuar com o seu emprego atual. A partir desse ponto você terá que apostar no seu negócio próprio se quiser viver exclusivamente dessa arte. No entanto, se der certo será o click mais perfeito da sua vida, capaz de extrair a satisfação e o sorriso do seu cliente e de você própria.

Marcos Paula é publicitário de formação com especialização em arte visuais pelo SENAC. Ele é fotógrafo, cinegrafista e sócio na empresa Marcos Paula – Foto e Filme.

COMO LIDAR tem o propósito de servir como ferramenta de esclarecimento e apoio aos leitores apresentando perguntas e respostas, sobre variados temas.

Se você tem alguma questão ou dúvida que precise da explicação de um profissional, envie para redacao@plenonews.com.br


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo