Como lidar com o medo do diagnóstico de uma doença crônica?

Leitora acabou de saber que tem uma doença e pergunta. Jornalista que passou por grande mal responde

Como Lidar - 14/08/2018 11h43

“Acabo de saber que tenho uma doença crônica. O tratamento é caro e pode não ter cura. Mesmo com toda minha fé em Deus, busco forças para suportar este novo momento em minha vida, que poderá perder qualidade. Sou uma pessoa sozinha, não tenho com quem conversar. E fico me perguntando: como lidar com esta situação, com este medo e com esta insegurança?

Sandra Pereira, São João, Paraná”.

RESPOSTA:
Doença crônica é o diagnóstico, e a voz do médico fica ressoando na mente e no coração. Sem contar o medo e às vezes, até um certo pânico. É assim que a gente se sente diante de uma situação assim, mãos e pés atados, e a pergunta: O que fazer quando não se pode fazer nada? Sandra, o medo e a insegurança são normais, mas eles não podem tomar conta da sua mente, paralisar você e determinar o seu futuro.

Ainda que a previsão médica não seja boa, sempre é possível lutar. Lutar como? Lutar para que a sua mente não destrua sua esperança, suas expectativas e impeça você de seguir. Mas o que virá junto com a doença, você pode se perguntar…

Por outro lado, eu pergunto: O que nos espera no dia de amanhã? Quem sabe? Quem controla? Com diagnóstico ou sem diagnóstico, a vida é um presente de Deus, o amanhã não controlamos, o presente é o que temos, portanto, viva com alegria cada minuto, lute e não se entregue. Sobretudo, confie! Sim, confie em um Deus que cuida de você antes mesmo do seu nascimento. E o melhor, um Deus que a ama e não deixa você sozinha!

Marcella Bastos é jornalista. Atua como produtora do debate da Rádio 93 FM, no Rio de Janeiro. É autora do livro A Dor que Abre os Céus – como uma terrível doença me aproximou da vontade de Deus.

COMO LIDAR tem o propósito de servir como ferramenta de esclarecimento e apoio aos leitores apresentando perguntas e respostas, sobre variados temas.

Se você tem alguma questão ou dúvida que precise da explicação de um profissional, envie para redacao@plenonews.com.br