Como lidar com o desejo de morar fora do país?

Para saber se vale a pena tentar, tenha bem claro em mente qual é o seu objetivo

Como Lidar - 22/01/2019 12h06


“Diante da crise e onda de desemprego que se encontra no Brasil, tenho cada vez mais vontade de tentar a vida em outro país. Mas, tenho medo de dar errado. O que posso fazer para me programar para arriscar essa possível mudança? Vale mesmo a pena tentar?”

Milena Duarte, Rio Brilhante, MS

Cara Milena,

Apesar de muita gente achar que esta é uma pergunta fácil, ou óbvia, não é tão simples. Não é fácil viver em um país sem oportunidades como o Brasil, mas também não é tão fácil morar fora. Na vida real há uma série de fatores a serem considerados. O primeiro é: Quem é você? Quando falamos em arriscar, precisamos falar também sobre o que você tem que abrir mão, ou seja, o que você tem a perder, potencialmente?

Não existe certo ou errado, mas tudo dependerá do seu perfil. Você é uma pessoa altamente adaptável? Lida bem com a insegurança? Tem jogo de cintura diante das crises? Tem facilidade em fazer uma rede de contatos? Qual a sua reação diante do novo? Tem muitos laços familiares no Brasil? Se importa em não trabalhar na sua área e começar do ZERO? A ânsia por sair do país tem levado algumas pessoas a partirem para esse desafio sem fazer uma auto-avaliação, o que pode acarretar em uma depressão ou um período de profunda tristeza, mesmo morando em um país de primeiro mundo (Fala sério!).

Para saber se vale a pena tentar, tenha bem claro em mente qual é o seu objetivo. Você deseja morar no exterior definitivamente ou apenas por tempo para ganhar experiência? Isso influenciará muito em como será o seu estilo de vida lá fora. Conseguir um visto permanente não é fácil e se estabilizar financeiramente leva algum tempo. E a Língua? Como vai o seu inglês? Se comunicar bem é fundamental para abrir portas e aumentar as chances de um emprego. Posso dizer a você que trabalho tem e todos são dignos, mas você precisa estar disposta a sair de sua zona de conforto e trabalhar muito em locais em que, aqui no Brasil, provavelmente você não consideraria uma opção.

Mas, com o tempo, focando em qualificação, muita gente tem conseguido alcançar cargos bem interessantes, porém, é preciso ter paciência. Algumas pessoas estão em certos estágios na vida em que não se sentiriam confortáveis em voltar alguns (ou muitos) degraus. Acho valido destacar que não estou considerando a possibilidade de partir para o exterior e permanecer lá clandestinamente. Primeiro porque isso é ilegal e segundo porque o preço a ser pago é muito alto. Você corre o risco de nunca mais poder ver sua família e se tornar uma “criminosa” (só para garantir que não estamos pensando nisso).

Como em tudo nessa vida, você precisa saber onde está entrando. Para quem está iniciando, há boas estratégias que tem ajudado muita gente, como por exemplo, fazer intercâmbio de longo prazo para aprender a língua, ou fazer outras qualificações no país em questão, até conseguir se posicionar no mercado. Seguir como estudante, digo por experiência própria, é muito bom para se familiarizar com a cultura, ter auto-conhecimento diante do processo de adaptação e definir se gostaria mesmo de ficar ali definitivamente. Além disso, este tempo de intercâmbio irá ajudá-la a formar sua rede de relacionamentos para o caso de decidir permanecer no país.

Assim, boas oportunidades podem surgir (há muitos casos de sucesso assim) e se isso não for exatamente o que você quer, ou ainda se não der certo (lembrando que não tem certo ou errado), você já se qualificou para o mercado brasileiro também. Empresas multinacionais têm ótimos olhos para quem tem uma experiência internacional, um bom inglês e etc. Dessa forma, você poderá galgar bons cargos ainda aqui no Brasil devido ao seu diferencial no mercado.

Eu não estaria onde estou hoje se não fosse pela minha experiência de morar fora e ter estudado em uma Universidade de Altíssimo nível. Muita gente acaba voltando e vivendo em outro patamar profissional por aqui e desfrutando de uma vida muito feliz junto de sua família e amigos – porque é isso o que mais importa.

Espero que tenha ajudado.

Pense nisso e boa viagem (ops…) Boa Sorte!

Ronan Porto Valladares é formado em Farmácia pela UFRJ, trabalha como Analista de Operações de Pesquisa e Desenvolvimento na Global Medical e participou de um intercâmbio na Faculdade de Engenharia Farmacêutica e Ciências da Saúde na Universidade de Adelaide, Austrália.

COMO LIDAR tem o propósito de servir como ferramenta de esclarecimento e apoio aos leitores apresentando perguntas e respostas, sobre variados temas.

Se você tem alguma questão ou dúvida que precise da explicação de um profissional, envie para redacao@plenonews.com.br


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo