Como lidar com filhos agressivos?

Leitora pergunta o que fazer com filhos que respondem com pirraças e até tapas. Psicopedagoga responde

Como Lidar - 24/05/2018 11h36

“Sou mãe tardia. Tive meu primeiro filho aos 40 anos e o segundo aos 42. Hoje, eles têm 7 e 9 anos e são crianças saudáveis, mas são agressivas. E eu me canso disso. Eles reagem com agressividade, pirraças, e até com tapas. Algumas vezes, chegam a ranger os dentes. Preciso de socorro. Não sei o que fazer para disciplinar meus filhos. Como lidar com as minhas crianças agressivas?”.

Altina Duarte, Belo Horizonte, Minas Gerais

Resposta:
Na verdade quando existe esse afrontamento acaba acontecendo da gente, como pais, perder a cabeça às vezes. Então, em situações extremas quando o filho gritar, falar alto ou for grosseiro tem que se pontuar de uma forma muito firme olhando para o filho mostrando que você não gostou, corrigindo mesmo para ele pensar no que fez. Tire algo que ele goste e de preferência que essa correção tenha relação com o ato ou coisa inadequada que ele fez e você não gostou.

Por exemplo, ficar um tempo em silêncio, privando o seu filho do seu contato, para ele perceber que tem que tratar as pessoas com respeito, porque ele precisa das pessoas.

Podem ser várias correções que você pode ensinar para suas crianças. Uma das correções é tirar uma coisa que ele gosta ou não deixar ir a algum lugar, na verdade são mais esses tipos de punição. Mais importante que a punição é que ele reflita e depois haja uma conversa no final dessa punição. Não é só punir e depois não se fala mais nisso, tem que ter uma conversa para fechar essa questão e para que ele entenda e não faça mais.

Os pais podem usar o sistema de recompensas e pontuações com os filhos quando eles tiverem boas atitudes. Funciona assim, cada tarefa realizada ou boa atitude vale um ponto para a criança ser premiada. Esse prêmio pode ser um brinquedo, um passeio, um lanche em um fast-food. Os pais que determinam quantos pontos vale cada coisa.

Em alguns casos, como de crianças com transtorno de comportamento ou crianças com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), elas costumam fazer uso desse sistema porque costumam ter alterações comportamentais e isso acaba sendo um motivador para a criança.

Mas de certa forma é muito importante também, a gente criar gosto nos filhos pela autonomia, por fazer coisas certas. Por exemplo, o filho fala “eu não quero fazer tarefa”, e nós, como pais devemos mostrar: “mas olha como é importante você fazer tarefa, com isso você vai bem na prova, com isso você vai passar de ano”, mostrando os benefícios que as atividades têm em si próprias. Pode sim usar o sistema de recompensa e pontuação, mas com muita cautela para não ficar como se fosse mais uma chantagem.

É muito importante também levar a criança ao médico para que possa ser feita uma avaliação se ela não tem algum transtorno de comportamento também.

Luciana Brites é psicopedagoga e uma das fundadoras do Instituto NeuroSaber (PR).

COMO LIDAR tem o propósito de servir como ferramenta de esclarecimento e apoio aos leitores apresentando perguntas e respostas, sobre variados temas.

Se você tem alguma questão ou dúvida que precise da explicação de um profissional, envie para redacao@plenonews.com.br