Como lidar com as armadilhas da depressão

Leitora pede orientação sobre como não se deixar mergulhar na depressão

Como Lidar - 10/01/2019 10h07


“Tenho sofrido de uma tristeza constante e, aparentemente sem motivo. Será que estou iniciando um processo de depressão? Como saber e, caso eu esteja, o que fazer para não me deixar afundar nesse mal que tem derrubado tantas pessoas?”

Patrícia da Silva Lemos, Carapicuíba, SP

Olá Patrícia! Este é um assunto que tem sido muito divulgado, comentado e até vivenciado… afinal, quem nunca passou por uma depressão? Meu objetivo aqui não é explicar detalhadamente do ponto de vista científico e psicológico as causas mais comuns da depressão (havendo necessidade, depois passo essas informações para você), porém, é alertá-la sobre essa tristeza na alma humana que vem se propagando de uma maneira intensa e, às vezes, sem que nos percebamos adoecidos, muito menos deprimidos.

As pessoas geralmente classificam como deprimidos aquelas pessoas que estão chorosas, inseguras, trancadas no quarto, desmotivadas com a vida. Sim, essas também são características da DOR NA ALMA, mas a depressão também vem disfarçada de euforia demasiada, fixação pelo trabalho, estudo, igreja, religião, amigos, noitadas, bebidas, comidas, shoppings, viagens. Parece legal, afinal, as citações acima são todas legais e, quem não gosta de sair com os amigos, fazer compras no Shopping.

Porém, TUDO QUE É EM EXCESSO pode virar uma compulsão, ou um deslocamento da sua dor. Não adianta querer se enganar. Se você está se dedicando demais a alguma coisa (e quando falo demais aqui estou sinalizando o EXCESSO), você precisa parar e se perguntar o porquê de tanta dedicação. É para seu prazer pessoal ou para maquiar sua dor na alma?

As dores precisam ser tratadas, devidamente curadas, saradas e não para serem escondidas. É preciso tratar nossas tristezas para que possamos desfrutar dos prazeres da vida, pois isso nos faz bem à alma, e cada um de nós merece viver uma vida plena.

Noitadas, shoppings, viagens, etc., certamente nos ajudarão a curar nossas feridas, porque nos trazem uma sensação de bem estar, de prazer, mas sua motivação para usufruir desses prazeres deve ser VOCÊ e não sua dor. Quando falo em dor, não estou me referindo a nenhuma dor específica, porque temos tantas dores (um luto, desemprego, término de relacionamento, mudanças, etc), e cada indivíduo conhece bem a sua.

Tenho acompanhado de perto a necessidade que as pessoas têm de arrancar suas dores, e vejo que não é tarefa fácil, porém, o primeiro passo para você se livrar, se libertar desse sofrimento é RECONHECER que ele existe. Acredite! Esse é o primeiro passo para sua CURA! O próximo é buscar ajuda profissional.

Rosane Ribeiro do Nascimento é membro da Igreja Batista o Recreio, bacharel em Teologia e psicóloga clínica com especialização em saúde mental.

COMO LIDAR tem o propósito de servir como ferramenta de esclarecimento e apoio aos leitores apresentando perguntas e respostas, sobre variados temas.

Se você tem alguma questão ou dúvida que precise da explicação de um profissional, envie para redacao@plenonews.com.br


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo